Fortalecido por vitória no dérbi, Corinthians vira chave para Libertadores

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

    Corinthians fez 2 a 0 no Palmeiras voltou a vencer na temporada depois de três jogos

    Corinthians fez 2 a 0 no Palmeiras voltou a vencer na temporada depois de três jogos

O primeiro desafio de uma semana cheia e decisiva foi superado pelo Corinthians. Ao vencer o Palmeiras por 2 a 0 no clássico disputado em Itaquera, o time alvinegro reencontrou a rota de vitórias em 2018 e ganhou fôlego para a estreia na Libertadores na próxima quarta-feira, às 21h45, na Colômbia, contra o Millonarios.

Ao fim do jogo marcado por um golaço de Rodriguinho, dois pênaltis e polêmica, o discurso de jogadores e do técnico Fábio Carille era unânime: vencer o rival, novamente sob condições adversas, assim como em 2017, poderá representar uma virada antes da primeira partida na competição continental.

Fortalecido pela vitória, o Corinthians tem indefinições em relação ao time que entrará em campo diante dos colombianos. A maior dúvida diz respeito ao substituto do nome do jogo contra o Palmeiras. Suspenso, Rodriguinho não poderá entrar em campo.

A tendência é que Mateus Vital entre na vaga do camisa 26, mas ainda existe a chance de Carille voltar a escala um centroavante depois de optar por um esquema sem camisa 9 e quatro jogadores no meio-campo ofensivo diante do Palmeiras.

"Nem pensei no substituto do Rodriguinho. Segunda-feira teremos as coisas bem definidas. Daqui a pouquinho vou receber as informações do Millonarios, ver se mantenho o esquema ou entro com alguém mais à frente, Lucca, Dutra", ressaltou Carille, que frisou também que o desafio agora é manter a concentração do elenco.

Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Renê Júnior teve boa atuação no clássico

Outra indefinição

O treinador também terá de definir o lateral esquerdo do time para a estreia na Libertadores. Titular no dérbi, Maycon foi um dos melhores atletas em campo e pode ser mantido. Sidcley, recém-contratado, corre por fora, assim como Juninho Capixaba, em baixa após más apresentações.

"No ano de 2014 ou 2015, o Maycon jogou o ano inteiro no sub-20 como lateral esquerdo. Eu assistia a muitos jogos, sempre fui ligado à base. Tivemos de acelerar um processo com o Juninho e ele sentiu. A gente tem de ser verdadeiro, mas tem muito potencial. Acredito muito no Juninho, pela qualidade técnica. Lá na frente ele vai dar uma resposta muito boa", frisou.

Questionado sobre a atuação e manutenção na lateral, Maycon ressaltou que a preferência é atuar como segundo volante, mas afirmou que pode atuar pelo lado do campo para contribuir com o time.

"Não é uma função que eu domino muito bem. Por mais que tivesse jogado na base nessa posição, não é a minha posição de origem, mas o Corinthians, no que precisar de mim, eu vou ajudar da melhor forma", afirmou o jogador.

Carille ainda celebrou a boa atuação do Corinthians no novo esquema sem centroavante. Ao escalar o time dessa forma, o treinador conseguiu a primeira resposta positiva em relação ao ataque após a saída de Jô. Sem um camisa 9, Gabriel e Renê Júnior atuaram na contenção, com uma linha de quatro jogadores à frente, com Romero, Jadson, Rodriguinho e Clayson. 

"Fortalece, é uma nova ideia, além do 4-2-3-1, um 4-2-4. O bom é que estou tendo peças para variar, podemos fazer um grande ano não só na Libertadores, mas em todos os campeonatos que tivermos pela frente", frisou o comandante alvinegro.

Depois do pontapé inicial na Libertadores, o Corinthians terá pela frente o clássico contra o Santos, no Pacaembu, como visitante. O confronto será no próximo domingo, às 17h (de Brasília).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos