Falta de centroavante e improviso "queimam" reforço do Corinthians

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Vorley/AGIF

    Júnior Dutra foi escalado como centroavante titular em cinco jogos do Estadual

    Júnior Dutra foi escalado como centroavante titular em cinco jogos do Estadual

A demora da diretoria do Corinthians em contratar um substituto para o artilheiro Jô resultou na exposição de um recém-contratado. Improvisado na referência do ataque alvinegro, Júnior Dutra perdeu a vaga no time e passou a ficar em xeque, assim como aconteceu com Romero na temporada 2015.

Ao chegar ao Corinthians, em janeiro, Dutra explicou que suas características estavam ligadas a outro setor. Mais à vontade pelos lados do campo, o atacante marcou nove gols pelo Avaí no último Campeonato Brasileiro.

"Não sou uma referência, como é o Jô, o Kazim. Sou aquele falso 9, tenho altura boa, mas sou mais de movimentação e explorar velocidade", afirmou Dutra na primeira entrevista como atleta do Corinthians.

O reforço corintiano, porém, atuou apenas 12 minutos como jogador de lado. Em cinco jogos, começou como titular na referência do ataque. Em outros dois, entrou no lugar de Kazim como centroavante.

O desempenho foi baixo: apenas um gol marcado na goleada de 4 a 0 sobre o São Caetano, no Pacaembu, dia 21 de janeiro. De lá para cá foram 480 minutos em campo sem balançar as redes. A seca de gols culminou na saída de Dutra do time diante do Palmeiras e a escolha de Fábio Carille por um esquema sem centroavante.

/Paulo Whitaker-22.nov.2015/Reuters
Romero e Tite celebram gol em 2015

Romero também sofreu

Escalado como centroavante por Tite em alguns jogos da temporada 2015, o atacante paraguaio, que hoje é titular absoluto do time atuando pelos flancos do campo, também sofreu por não ser um atacante de área. 

No Brasileirão daquele ano, por exemplo, Tite optou por colocá-lo no comando do ataque em quatro jogos da competição, logo após a saída de Guerrero do clube. À época, Vagner Love ainda era visto com desconfiança por causa da questão física e Luciano era um dos concorrentes de Romero.

O jogador paraguaio, que estava na sua segunda temporada no clube, não marcou gols como centroavante. A virada ocorreu somente em novembro, quando Tite promoveu uma mudança de posição durante a vitória corintiana por 6 a 1 sobre o São Paulo.

Escalado na referência, Romero passou a atuar pelo lado depois de o time alvinegro abrir 2 a 0. No espaço favorito, fez dois gols e mudou de vez a concepção do treinador em relação à sua posição na equipe.

Corinthians busca solução temporária

Daniel Vorley/AGIF
Turco Kazim ficou fora da lista de 30 jogadores do Corinthians para a Libertadores

Diante das dificuldades em contratar um camisa 9 à altura de Jô, o Corinthians optou por apostar no jovem Matheus Matias, artilheiro do Brasil em 2018 com dez gols pelo ABC. O centroavante, que até o ano passado vivia de bicho em peladas, porém, passará por um processo de aprimoramento físico antes de estrear.

Apesar disso, o atacante de 19 anos foi incluído na lista de 30 jogadores da Libertadores, vencendo a concorrência com o turco Kazim, que deve deixar o clube alvinegro. Outro centroavante corintiano foi preterido por Carille. Trata-se de Carlinhos, emprestado ao Oeste na última semana.

O treinador corintiano tem outras opções para o comando de ataque. Além de Dutra improvisado, Carille pode escalar o veterano Danilo na posição e Lucca, que também rende mais pelos lados do campo.

Nesta quarta-feira, Carille terá de encontrar uma solução diante da ausência do suspenso Rodriguinho. O comandante alvinegro pode manter o esquema sem centroavante utilizado na vitória por 2 a 0 sobre o Palmeiras ou improvisar um atleta na área. No primeiro caso, Mateus Vital é o favorito à vaga. No segundo, Dutra e Lucca lutam pela posição.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos