Polêmicas por reforços na base entre Santos e Palmeiras esquentam clássico

Leandro Miranda e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo e Santos

  • Divulgação/Manta FC

    Zagueiro Jackson Porozo conheceu o CT do Palmeiras em dezembro de 2017

    Zagueiro Jackson Porozo conheceu o CT do Palmeiras em dezembro de 2017

Um elemento de bastidores serve para esquentar a expectativa para o clássico entre Santos e Palmeiras neste sábado (24), às 19h30 (de Brasília) pelo jogo de ida da semifinal do Campeonato Paulista, no Pacaembu. Nas categorias de base, a relação entre os clubes tem se estremecido por causa de jogadores na mira alviverde que têm preferido acertar com a equipe praiana.

O caso mais recente foi o do zagueiro equatoriano Jackson Porozo, de 17 anos e 1,93 m de altura. O garoto, que já jogou como profissional em seu país, estava desde o final do ano passado fazendo uma espécie de intercâmbio no Palmeiras. Ele vestiu a camisa do clube e chegou a jogar, mas sem vínculo assinado, já que a Fifa proíbe transferências internacionais de menores de idade. Quem ficou com ele, porém, foi o Santos.

O time alvinegro não confirma oficialmente, mas o UOL Esporte apurou que o contrato do zagueiro equatoriano já foi assinado. No entanto, Porozo só será anunciado e iniciará os seus trabalhos na Vila Belmiro em agosto, quando completa 18 anos. Ele despertou a atenção do Santos após a diretoria vê-lo atuar pelo Palmeiras.

O Palmeiras alega que o Santos ofereceu valores financeiramente mais vantajosos ao jogador e sustenta que a manobra feita pelo rival foi irregular, mas não contempla fazer uma denúncia à Fifa. Recentemente, times como Barcelona e Real Madrid ficaram impedidos de contratar jogadores por um período em razão de casos semelhantes envolvendo a contratação de estrangeiros menores de idade.

Outro caso é o do zagueiro Gabriel Oliveira, de 19 anos. A cúpula santista alega que o atleta pertencia ao Vitória e, assim como o equatoriano, optou por rejeitar o Palmeiras para acertar com o alvinegro praiano. Já o clube alviverde aponta semelhanças com o caso de Porozo e diz que o Santos ofereceu mais dinheiro para levar o jovem.

Nos bastidores, a diretoria santista se gaba de vencer a concorrência contra o Palmeiras também em relação a outros jogadores. Segundo eles, são atletas de categorias inferiores, como sub-13 e sub-15, mas preferem manter os nomes em sigilo para preservas os jovens e evitar mais polêmicas.

Segundo a diretoria alvinegra, os jogadores preferiram acertar com o Santos por conta de uma "proposta de carreira" e não por vantagem econômica, até porque o clube enfrenta uma crise financeira e só contratou três reforços para o elenco principal (Gabigol, Sasha e Dodô), todos por empréstimo.

O clube santista também defende que o fato de ser conhecido mundialmente como clube revelador, por conta de jogadores como Pelé, Robinho e Neymar, também pesa na decisão dos atletas. Porozo, por exemplo, quando esteve no Brasil para acertar com o Santos há um mês, gastou cerca de R$ 2 mil em presentes na loja oficial do time na Vila Belmiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos