Fernandinho compara recepção da torcida do Liverpool a São Januário

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, em Manchester

  • PAUL ELLIS/AFP

    Delegação do City foi agredida na chegada ao Anfield Road antes de jogo da Champions

    Delegação do City foi agredida na chegada ao Anfield Road antes de jogo da Champions

A recepção hostil da torcida do Liverpool na chegada da delegação do Manchester City ao Anfield Road na última quarta-feira ainda é assunto na Inglaterra. O volante Fernandinho comparou o episódio a um que viveu no Brasil há quase 14 anos.

"Foi normal. A mesma coisa do que chegar em São Januário em 2004. Lá jogaram pedra, aqui arremessaram garrafas. O mais importante é que ninguém se feriu", disse o brasileiro neste sábado (7), após a derrota por 3 a 2 para o Manchester United no Etihad Stadium, pelo Campeonato Inglês.

Na chegada ao estádio de Anfield, o ônibus do City foi alvo de objetos atirados pela torcida anfitriã mesmo tendo alterado a rota para evitar incidentes. Dois policiais acabaram feridos. Em campo, o time da casa venceu por 3 a 0 e ficou bem perto de garantir a vaga na semifinal da Liga dos Campeões. O jogo de volta é nesta terça, em Manchester.

Já o episódio de São Januário ao qual Fernandinho se referiu aconteceu em dezembro de 2004, quando ele ainda defendia o Atlético-PR e fazia parte da delegação rubro-negra que foi alvo de torcedores do Vasco na chegada ao estádio para partida válida pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro daquele ano. A equipe carioca venceu por 1 a 0, escapou do rebaixamento e ainda fez com que os paranaenses perdessem a liderança para o Santos – que confirmou o título na rodada seguinte.

Fernandinho falou também sobre o jogo deste sábado, em que o Manchester City abriu 2 a 0, resultado que garantiria a conquista antecipada do Inglês, mas cedeu a virada para o maior rival no segundo tempo. 

"Fizemos um primeiro tempo excelente, com oportunidade de fazer quatro ou cinco gols, mas infelizmente não conseguimos. Futebol é baseado nisso. Se você faz gol você ganha, se não conseguir, é punido", lamentou.

O amplo domínio dos donos da casa no primeiro tempo ocorreu mesmo sem a presença de nomes como De Bruyne, Agüero e Gabriel Jesus, que ficaram no banco. Mas o nível não foi mantido nos 45 minutos finais. O trio até entrou em campo na etapa complementar, sem, no entanto, evitar o revés e o adiamento do título nacional.

"Eles (United) têm uma maneira de jogar que é marcação mano a mano no meio de campo, por isso a opção de ter Bernardo (Silva) e Sterling, com superioridade numérica na zona. No segundo tempo eles apertaram a marcação e colocaram dois jogadores do meu lado, uma zona bem difícil de marcar. Não conseguimos encontrar uma forma ideal de defender e também de atacar como fizemos no primeiro tempo", concluiu Fernandinho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos