Mattos vai a Moscou para vender Keno por R$ 37 mi e segurar quarteto

Danilo Lavieri

Do UOL, em Moscou

  • Pedro Vale/AGIF

    Keno, do Palmeiras, em ação durante jogo contra o Cruzeiro

    Keno, do Palmeiras, em ação durante jogo contra o Cruzeiro

O Palmeiras encaminhou a venda de Keno ao futebol do Egito. O acerto foi feito por Alexandre Mattos, diretor do time, em viagem à Rússia. O atacante de 28 anos será vendido por US$ 10 milhões (mais de R$ 37 milhões). Ainda não há assinatura de contrato e o anúncio será feito nos próximos dias. Pelo lado do jogador quem conduziu a transação foi o empresário Edson Neto.

O nome do time não foi revelado, mas pertence a investidores sauditas que não têm poupado esforços para contratações para esta temporada.

Em Moscou desde o último sábado, o cartola palmeirense também aproveitou a viagem para a terra da Copa do Mundo para se encontrar com dirigentes de outras equipes e evitar a saída de mais quatro atletas. A lista dos que ficaram na mira dos árabes tem William, Moisés, Lucas Lima e Antônio Carlos.

O principal encontro de Mattos foi feito com o Ministro do Esporte da Arábia Saudita, Turki bin Abdulmohsen Al-Sheikh. O representante do governo tem liderado as negociações de times árabes em busca de atletas pelo mundo. Fábio Carille, inclusive, deixou o Corinthians após negócio intermediado por ele.

Neste primeiro momento, o planejamento alviverde é não negociar mais um atleta. Além de Keno, o time paulista já havia efetivado as vendas de Tchê Tchê ao Dínamo de Kiev e do atacante Fernando ao Shakhtar Donetsk, ambos da Ucrânia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos