Caso Daniel: Gêmeo suspeito de participação na morte do jogador é solto

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

  • Bruno Abdala/UOL

    Eduardo Purkote estava preso desde 15 de novembro

    Eduardo Purkote estava preso desde 15 de novembro

O gêmeo Eduardo Purkote, preso por suspeita de participação no assassinato de Daniel Corrêa em 27 de outubro, foi solto na tarde desta segunda (26). A informação foi confirmada pelo advogado de Purkote, Ricardo Dewes. 

Eduardo Purkote estava preso na delegacia de São José dos Pinhais desde 15 de novembro, suspeito de ter participado das agressões ao jogador Daniel, ainda na casa da família Brittes, antes de ser morto degolado em uma mata. 

Segundo relato de uma testemunha, Eduardo Purkote teria participado das agressões a Daniel, entregue a faca do crime a Edison Brittes Júnior e quebrado o celular do jogador. Após o depoimento, ele foi preso. Purkote foi indiciado pela polícia por lesão grave. 

O gêmeo deixou a delegacia de São José dos Pinhais às 17h após ter a prisão temporária revogada. 

Outros seis suspeitos de participação no crime continuam detidos: Edison Brittes Júnior, que confessou ser o autor do assassinato, Cristiana Brittes, Allana  Brittes, Ygor King, David Vollero e Eduardo Henrique da Silva. 

Após a conclusão do inquérito na última semana pelo delegado Amadeu Trevisan, cabe ao promotor do caso João Milton Salles apresentar as denúncias à Justiça, o que deve ser feito até esta terça (27), um mês após a morte do jogador. 

Além de denunciar Edison Brittes Júnior por homicídio, o promotor do caso afirmou que também denunciará Cristiana Brittes pelo mesmo crime. Cristiana e a filha Allana foram indiciadas por fraude processual e coação de testemunha. 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos