Topo

Futebol


Situação de Marcelo se agrava e técnico não deve seguir no Flu em 2019

Thiago Ribeiro/AGIF
Marcelo Oliveira tem contrato com o Fluminense até o dia 31 de dezembro deste ano Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

29/11/2018 04h00

A derrota por 2 a 0 para o Atlético-PR e a consequente queda na Copa Sul-Americana representam praticamente um ponto final na trajetória de Marcelo Oliveira no Fluminense.

Assista aos gols da partida.

Cada vez mais questionado internamente e nas arquibancadas, o treinador, cujo contrato acaba no dia 31 de dezembro deste ano, não deve emplacar nas Laranjeiras ano que vem nem mesmo se livrar o time do rebaixamento. No domingo, a equipe encara o América-MG, às 17h, no Maracanã.

O trabalho teve um bom início, mas degringolou no último mês, quando o time enfileirou uma sequência de oito jogos sem vitórias e gols. A piora na performance coincide também com a explosão da crise de salários atrasados. Com dificuldade para mobilizar todo o elenco, Marcelo sucumbiu.

"Os dirigentes acompanham diariamente o trabalho, as palestras e estão avaliando. Técnico no Brasil necessita muito de resultado, mas nem sempre os resultados dependem só do técnico. Vamos aguardar", disse ele.

Ante vários jogadores insatisfeitos, o comandante lida com um vestiário com dificuldades para reagir. Com este cenário à frente, Oliveira tem buscado diversas alternativas na escalação, mas as tentativas não vêm surtindo efeito.

Na partida contra o Ceará, ele relacionou e mandou a campo o jovem Macula. O fato causou estranheza, visto que o atacante formado na base nem participa dos treinos entre os profissionais. 

Outro episódio que demonstra que o treinador tem mais dúvidas do que certezas foi a utilização do equatoriano Bryan Cabezas. De não relacionado, entrou como titular no jogo contra o Palmeiras. Depois do revés por 3 a 0, nunca mais começou como titular. Xodó da torcida, Everaldo, por sua vez, começou no banco a semifinal do torneio continental. Assim que o atacante entrou, Marcelo ouviu o coro de "burro".

Quando o Flu navegava em águas calmas no Brasileiro, a cúpula de futebol via com bons olhos a permanência do técnico, mas não houve conversas mais conclusivas sobre o futuro, embora o diretor Paulo Angioni tenha falado publicamente ser a favor da continuidade. Os resultados recentes, no entanto, fazem o Flu apontar para um novo caminho.

"Minha preocupação não é essa (permanência). É fazer grande jogo, convincente e com vitória", garantiu o tricolor.

Com mais dúvidas do que certezas, Marcelo ainda tem pela frente aquele que deve ser seu último jogo no banco de reservas tricolor. 

Mais Futebol