"Tenho medo de levar meu filho ao Monumental", diz ex-volante do River

Do UOL, em São Paulo

  • Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images

    Diego Buonanotte, em 2013, quando defendia o Granada, da Espanha

    Diego Buonanotte, em 2013, quando defendia o Granada, da Espanha

A violência que marcou o Monumental de Nuñez antes do adiamento da final da Libertadores segue rendendo assunto na Argentina. Desta vez, Diego Buonanotte, ex-volante do River Plate, falou sobre a situação do futebol no país. Formado nas categorias de base do clube de Buenos Aires, o jogador afirmou que tem medo de levar seu filho ao estádio onde iniciou a carreira nos gramado.

"Tenho um filho de cinco anos que é fanático pelo River. Me encantaria poder levá-lo para conhecer o Monumental e dizer que joguei ali, mas me dá medo pela violência que há", disse Buonanotte à rádio argentina Rivadavia.

O volante também lamentou a mudança do palco do segundo jogo da decisão entre River e Boca, mas disse torcer para uma "festa" no Santiago Bernabéu, na Espanha, que sediará a partida no próximo domingo (9).

"Gostaria que fosse no campo do River, como deveria ser. Espero que a partida em Madri seja uma festa. Senti pena e uma amargura muito grande. Não tem que acontecer essas coisas no futebol. Temos que refletir todos e trabalhar para que melhore. O fanatismo tão grande tem que ser deixado de lado", avaliou o jogador, que não esconde a torcida pelo River na final.

"Que ganhe o melhor. Como torcedor, quero que o River ganhe. Mas com tudo que aconteceu, já não importa mais o resultado. Agora, o mais importante é que se possa fazer um espetáculo sem violência", finalizou.

Aos 30 anos, Diego Buonanotte defende a Universidad Católica, do Chile. Além do River, ele conta com passagens por Málaga e Granada, da Espanha.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos