Topo

Corinthians

Comprar ingresso
Comprar ingresso

Carille discute com repórter em coletiva sobre "espião" no Corinthians

Arthur Sandes e Samir Carvalho

Do UOL, em São Paulo (SP)

2019-04-08T23:11:56

08/04/2019 23h11

A entrevista coletiva de Fábio Carille após a classificação para a final do Campeonato Paulista foi tensa no estádio do Pacaembu. O técnico do Corinthians acabou discutindo com um repórter ao ser questionado sobre sua relação com a imprensa, e a temperatura subiu.

O assunto vem rendendo desde a última sexta-feira (5), quando o treinador revelou a existência de um "espião" em treinos do Corinthians que teriam passado informações sobre jogadas de bolas aéreas a times adversários. Hoje Carille deu detalhes de sua suspeita, relembrou um caso do ano passado e explicou sua irritação com o caso. "

"Ganhamos um jogo na Arena por 1 a 0, com jogada de bola parada que eu treinei. O técnico adversário, meu amigo, me disse que era difícil perder o jogo em uma bola que ele já sabia de antemão. Mas como ele sabia?", reclamou o treinador alvinegro, em pergunta retórica.

"Quando eu chamei [a imprensa] de mentirosa - e serviu para alguns, sim -, eu estava na Venezuela e tinha setoristas dizendo que eu estava certo com o Al Hilal [da Arábia Saudita], e com o Rodriguinho contratado. Eu só decidi ir na segunda-feira, mas na quarta-feira anterior já tinha gente dizendo que eu estava certo. Por que soltaram que eu ganharia 1,5 milhão no Hilal e o Rodriguinho já estava contratado? É difícil. A gente já vive em um país com muita mentira, e ficam passando para o torcedor isso. De onde sai isso?", disse Carille, inconformado.

O treinador acabou interrompido por um repórter, e o tom de perguntas e respostas aumentou. "Por que você está tão incomodado? É você um deles [espiões]?", perguntou Carille ao jornalista. "Agora escuta, porque você já falou demais: eu já tomei pressão no posto de gasolina porque teve setorista falando que eu barrei a vinda do Drogba", reclamou o treinador. "Eu sei que você é um dos irritados, talvez a carapuça está servindo para você", completou.

A discussão terminou com o microfone sendo passado a outros jornalistas, que deram sequência às perguntas. Carille não se incomodou em continuar, inclusive tomou a iniciativa de manter a entrevista. Ao final, o presidente Andrés Sanchez pediu a palavra para se pronunciar. "Quero pedir desculpas, independentemente de quem tenha a razão [na discussão], vamos falar de futebol. Temos que valorizar a vitória nos pênaltis. Sem merecimento, é verdade, mas classificamos. Queremos mais é falar de futebol", disse o mandatário alvinegro.

Apesar de classificação, Menon vê Corinthians "covarde" contra o Santos

UOL Esporte