Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Vasco e Corinthians empatam em jogo de pouca criatividade em Manaus

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

04/05/2019 20h52

Em jogo de pouca criatividade e inspiração, Vasco da Gama e Corinthians empataram por 1 a 1 na noite de hoje, na Arena da Amazônia, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Mateus Vital abriu o placar em jogada individual, e Maxi López empatou convertendo pênalti.

O empate é muito ruim para o Vasco, que tem um único ponto no Brasileirão, e nem tanto para o Corinthians, que não usou a maioria de seus titulares e mesmo assim vai a quatro pontos. O Cruz-maltino agora busca recuperação em visita ao Santos, no domingo que vem (12); enquanto o Timão recebe o Grêmio no dia anterior, provavelmente já com alguns de seus principais jogadores de volta.

Brilhou: Pikachu deixa agressão para trás e vai bem

Em final de semana conturbado, o vascaíno comandou o meio-campo e foi preciso nos passes. Foi ele quem encontrou Rossi em velocidade pela direita, no lance que rendeu o pênalti para o Vasco. No mais, foi a liderança técnica na armação de jogadas da equipe. Ontem, ao chegar a Manaus com a delegação cruz-maltina, Yago Pikachu havia tentado dar um soco em um torcedor após ouvir críticas.

Foi mal: André Luis fica devendo futebol

O atacante corintiano não conseguiu fazer jus à oportunidade que ganhou de Fábio Carille. Ele voltou a ser titular após 101 dias, mas ficou abaixo da crítica: muitos erros de passe e pouca ousadia na ponta direita, onde não conseguiu combinar com Michel Macedo ou Richard.

Vasco tem dificuldade para impor ritmo

A estratégia do Vasco foi acertada, mas a execução deixou a desejar. Contra um Corinthians desorganizado, o interino Marcos Valadares conseguiu que seu time fosse melhor no meio-campo, mas faltou controle maior.

Desentrosado, Corinthians não consegue jogar

Faltou organização ao Corinthians, que sentiu as ausências de Fagner, Manoel, Henrique, Danilo Avelar, Júnior Urso e Gustagol, além dos poupados Sornoza e Boselli. Só Cássio e Ralf começaram jogando, o que prejudicou bastante o jogo coletivo alvinegro. O meio-campo teve dificuldades para trocar passes e atrasou muitos ataques, que dependeram essencialmente de jogadas individuais. Na defesa, o time marcou espaçado e deu ao Vasco espaços que não costuma ceder aos adversários.

Mateus Vital, o viciado na "lei do ex"

O meia foi revelado pelo Vasco, mas não mostra muita piedade quando reencontra o ex-clube. Ele já havia marcado no último duelo contra o Cruz-maltino, e hoje abriu o placar em jogada individual belíssima, de técnica e também de insistência ao invadir a área aos 16 minutos. O gol foi uma resposta isolada do Corinthians a um momento em que o adversário tinha a bola, mas não conseguia criar.

Vasco empata em pênalti com VAR

O árbitro Rodrigo D'alonso Ferreira demorou para mudar sua decisão, mas contou com a ajuda do VAR para marcar o pênalti cometido por Carlos Augusto em Rossi. Maxi López converteu e empatou a partida, que a esta altura era de maior interesse ao Vasco do que ao Corinthians. Com campo para jogar, o time carioca investia na velocidade de Rossi e frequentava a área de Cássio.

Intensidade cai no segundo tempo

Nem Vasco nem Corinthians voltaram do intervalo em alto ritmo, e a partida entrou em certo marasmo. O melhor lance foi de Rossi, que passou fácil de Carlos Augusto e só não virou o jogo porque Cássio espalmou - e ainda segurou o rebote aproveitado por Pikachu. Fora isso, foi um jogo mais de estudo tático do que de jogadas emocionantes.

Corinthians melhora, mas não o suficiente

Fábio Carille conseguiu melhorar a capacidade criativa ao Corinthians com as entradas de Ramiro, Pedrinho e principalmente Clayson. O trio se movimentou melhor e combinou com mais precisão do que Richard, Mateus Vital e André Luis, que saíram, mas mesmo assim não o suficiente para pressionar o Vasco e criar chances reais de gol. Isolado no ataque, Vagner Love mal foi acionado e fez jogo extremamente discreto.

Maxi, o rei dos pênaltis

Se tem pênalti, chama o Maxi López. O centroavante acertou todas as sete cobranças que fez pelo Vasco da Gama - quatro em 2018, outras três neste ano. Contra Cássio, um pegador de pênaltis respeitável, o argentino escolheu seu canto esquerdo e ali balançou a rede pela quarta vez na temporada.

Ficha Técnica

Vasco da Gama 1 x 1 Corinthians

Data: 4 de maio de 2019
Local: Arena da Amazônia, em Manaus-AM
Hora: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo D'alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil e Carlos Berkenbrock (ambos de SC)
Cartões Amarelos: Raul e Claudio Winck (Vasco); Jadson (Corinthians)
Cartão Vermelho: não houve

Gols: Mateus Vital, aos 16', e Maxi López aos 37 minutos do primeiro tempo.

Vasco da Gama: Sidão; Cláudio Winck, Luis Ricardo, Ricardo e Danilo Barcelos; Raul, Lucas Mineiro, Yan Sasse (Jairinho) e Yago Pikachu (Bruno César); Rossi (Valdivia) e Maxi López. Treinador: Marcos Valadares.

Corinthians: Cássio; Michel, Marllon, Pedro Henrique e Carlos Augusto; Ralf, Richard (Ramiro) e Jadson; Mateus Vital (Pedrinho), André Luis (Clayson) e Vagner Love. Treinador: Fábio Carille.