Topo

Corinthians

Comprar ingresso
Comprar ingresso

Corinthians domina completamente e vence Lara (VEN) na Sul-Americana

Marcello Zambrana/AGIF
Vagner Love e Gustagol marcaram os gols da vitória corintiana sobre os venezuelanos Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Arthur Sandes e Flávio Latif

Do UOL, em São Paulo

2019-05-23T21:05:46

23/05/2019 21h05

O Corinthians foi dominante na noite de hoje e venceu o Deportivo Lara (VEN) por 2 a 0 com boa atuação ofensiva e time muito mais criativo do que a média na temporada. Foram 24 finalizações alvinegras ao todo, e Vagner Love e Gustagol fizeram os gols na Arena e garantiram boa vantagem na segunda fase da Copa Sul-Americana.

A vitória deixa o Timão em situação relativamente confortável para o jogo de volta, às 17 horas da próxima quinta-feira (30), no Estádio Metropolitano de Lara. O Timão pode até perder o reencontro por um gol de diferença que ainda assim avança à terceira fase. Antes disso, tem clássico contra o São Paulo no domingo (26), pelo Brasileirão.

Foi bem: Fagner e Avelar têm atuações excelentes

Os laterais do Corinthians curtiram onda de meias abertos, principalmente no segundo tempo. Ambos jogaram bem adiantados, o que afundou a defesa venezuelana e abriu espaços preciosos para o Timão trabalhar as jogadas. A dupla ainda deu assistências: Fagner serviu Vagner Love, e Danilo Avelar foi garçom de Gustagol.

Foi mal: Clayson perde bolas demais

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

O atacante ficou longe de ser aquele ponta esquerda que tanto ajudou o Corinthians em semanas recentes. Cometeu erros infantis, incluindo um passe para ninguém na região do escanteio, e não foi tão agudo quanto é capaz de ser. Na comparação com Pedrinho, por exemplo, que foi o ponta oposto, Clayson foi pouco intenso e não aproveitou as fragilidades do time venezuelano nas laterais. Ele até melhorou um pouquinho na reta final, mas ainda discreto.

Corinthians domina e leva a melhor pelo alto

Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

O Corinthians teve desempenho muito bom, principalmente na etapa final. O time soube criar por baixo e por cima, mas passou a insistir no jogo aéreo à medida que os venezuelanos mostravam enorme fragilidade em lances do tipo. Os gols saíram desta forma, mas poderiam muito bem ter saído em bolas trabalhadas, que foram muitas. Os 63% de posse de bola e as 24 finalizações em um jogo são números pelos quais o corintiano vinha esperando há muito tempo.

Frágil, Deportivo Lara é amassado

O time venezuelano mostrou fragilidades claras em Itaquera: falhas sérias na bola aérea, erros na saída de bola e ausência de contra-ataques. Conseguiu segurar o Corinthians por um bom tempo, é verdade, mas mais por falta de capricho do time da casa do que propriamente por méritos próprios. Coletivamente fraco, o Deportivo Lara contou com boa atuação do goleiro Salazar para não perder por diferença maior.

Carille dobra a aposta no intervalo e acerta

O primeiro tempo mostrou que Ralf acabou sobrando em campo: teve boa atuação, como quase sempre, mas sua função acabou sendo desnecessária porque o Deportivo Lara não criava nada no meio-campo. Por isso, o volante foi trocado por Gustagol, que assumiu o comando de ataque e deixou Love flutuar. Deu certo: o time amassou o adversário e logo chegou ao gol na bola aérea.

Urso e Pedrinho aparecem bem na área

Duas chances do Corinthians no início do jogo aconteceram por atrevimento de Júnior Urso, que apareceu na área desmarcado, mas parou em Salazar. O goleiro também fez boas defesas em finalizações seguidas de Pedrinho: primeiro espalmou cabeceio, depois segurou bola que Danilo Avelar tinha ajeitado na medida para o meia corintiano. A melhor chance foi de Vagner Love, que chutou por cima após bom giro na entrada da área.

Pressão diminui, mas Corinthians controla

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

A intensidade caiu a partir dos 15 minutos, mas o Timão seguiu dominante. Pedrinho foi protagonista, arriscando lances e abrindo o jogo. Em uma de suas jogadas, Salazar deu rebote, e Vagner Love tentou cavar pênalti inexistente - foi um dos vários choques dentro da área reclamados pelo Corinthians. No geral, o Alvinegro controlou bem as ações no primeiro tempo e criou muito mais e melhor do que o Deportivo Lara, mas não teve capricho nas finalizações.

Insistência dá frutos, e Corinthians chega aos gols

Bastou um pouquinho de paciência para o Corinthians sair na frente. Em boa trama entre Pedrinho e Fagner pela direita, o lateral cruzou na medida para Vagner Love cabecear a gol. Era o merecido 1 a 0 para o Timão, ainda que com certo atraso. O time seguiu dono do jogo, inteiro no campo de ataque e com laterais atuando lá na frente, afundando a defesa adversária. Foi assim que Danilo Avelar achou Gustagol livre na área e viu o atacante fazer o segundo do Alvinegro.

Cruzamentos dão pesadelos ao Lara

Chamou a atenção a fragilidade do Deportivo Lara nas jogadas aéreas. Ambos os gols do Corinthians saíram com centroavantes soltos em meio à marcação frouxa dentro da área, em lances pelo alto. Outro erro frequente dos venezuelanos aconteceu na origem das jogadas: o time praticamente não marcou nas laterais, levou a pior nos duelos individuais e permitiu cruzamentos limpos para dentro da área. Em dois deles, Love e Gustagol marcaram.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS x DEPORTIVO LARA (VEN)

Data: 23 de maio de 2019, quinta-feira
Local: Arena Corinthians, em São Paulo-SP
Horário: 19h15 (de Brasília)
Público: 28.080 presentes
Renda: R$ 800.153,00
Árbitro: Cristian Garay Reyes (Chile)
Assistentes: Raul Orellana Godoy e Claudio Andres Urrutia Cordova (ambos do Chile)
Cartões Amarelos: Fagner e Pedrinho (Corinthians); Leandro Aponte e Jaime Moreno (Deportivo Lara)
Cartão Vermelho: não houve

Gols: Vagner Love, aos 15', e Gustagol aos 27 minutos do segundo tempo

Corinthians: Cássio; Fagner, Marllon, Henrique e Danilo Avelar; Ralf (Gustagol), Júnior Urso e Jadson (Sornoza); Clayson, Pedrinho e Vagner Love (Régis). Treinador: Fábio Carille.

Deportivo Lara: Salazar; Aponte, Di Giorgi, Miers (Jairo Otero) e Carillo; Juan Medina, Yriarte (Jesus Bueno), Centeno, Jefre Vargas (Freddy Vargas) e Di Renzo; Jaime Moreno. Treinador: Léo González.