Topo

João Pedro brilha, e Fluminense goleia Atlético Nacional pela Sul-Americana

João Pedro comemora após marcar pela segunda vez contra o Atlético Nacional pela Copa Sul-Americana - Carl de Souza/AFP
João Pedro comemora após marcar pela segunda vez contra o Atlético Nacional pela Copa Sul-Americana Imagem: Carl de Souza/AFP

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

23/05/2019 23h28

Em uma noite iluminada do jovem João Pedro, o Fluminense goleou hoje o Atlético Nacional, no Maracanã, e abriu boa vantagem na briga por uma vaga nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O atacante balançou a rede três vezes na vitória por 4 a 1. Luciano fez outro para o time tricolor, e Barcos, ex-Palmeiras, Grêmio e Cruzeiro, diminuiu para a equipe colombiana.

Vale lembrar que, na Sul-Americana, vale a regra do gol como visitante. Então, os comandados de Fernando Diniz podem perder por até dois gols de diferença na volta. Caso o Atlético Nacional vença por 4 a 1, a vaga será decidida nos pênaltis.

O próximo encontro entre as equipes acontece na próxima quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Atanasio Girardot, na Colômbia. Pelo Campeonato Brasileiro, o Fluminense volta a campo no domingo, contra o Bahia, na Fonte Nova.

Quem foi bem - João Pedro

O jovem atacante João Pedro, mais uma vez, provou que tem estrela. O jogador foi o nome da partida nesta noite com três gols e uma assistência. Ele mostrou oportunismo e chegou a sete gols na temporada em dez jogos, além de se tornar o artilheiro tricolor na Sul-Americana.

Quem foi mal - Gilberto

Diante de uma atuação como essa do Fluminense, qualquer equívoco conta. Sendo assim, o lateral-direito Gilberto foi o escolhido. Ele acabou derrubando Machado na área, cometendo pênalti convertido por Barcos. No segundo tempo, quando o duelo caminhava para o fim, perdeu boa oportunidade para fazer o quinto.

Ganso acanhado

Fora da lista de inscritos na primeira fase da Sul-Americana, Paulo Henrique Ganso fez a estreia na competição. Porém, o meia teve participação discreta. Com a camisa 17, já que o Fluminense havia enviado a numeração para a Conmebol quando acertou sua contratação, o jogador fez alguns desarmes e achou companheiros bem posicionados, mas ainda abaixo do esperado.

Fluminense com começo avassalador

O Fluminense teve um início arrasador e conseguiu dominar a partida, principalmente no primeiro tempo. Com toque de bola envolvente e mudanças de posição, algo já realizado por Fernando Diniz desde o começo do ano, chegou com facilidade ao gol do Atlético Nacional. Após o intervalo, foi um pouco mais prudente.

Colombianos dominados

Ao mesmo tempo em que conseguia ir ao ataque com boa desenvoltura, o Flu também acabava deixando alguns espaços. Não à toa, o Atlético Nacional conseguiu dar certo trabalho em algumas poucas oportunidades. Arrumou um pênalti, carimbou o travessão uma vez e obrigou a Agenor a fazer algumas defesas. Mas logo esse ímpeto terminou. A equipe visitante passou a apresentar dificuldade na saída e ficou mais presa entre as intermediárias.

Sem tempo, irmão!

O primeiro tempo do duelo não deixou os torcedores nem sequer piscarem. Em apenas 45 minutos, foram cinco gols e oportunidades desperdiçadas. Quem chegou atrasado ao Maracanã deve ter levado um susto, pois 11 minutos o placar já apontava 3 a 0 para o Fluminense, com dois gols de João Pedro e uma assistência do jovem para Luciano marcar.

Pouco depois, Barcos, velho conhecido do torcedor brasileiro, fez o do Atlético Nacional em cobrança de pênalti. Mas não demorou para a torcida tricolor voltar a comemorar. João Pedro aproveitou cruzamento da esquerda e fez o quarto.

Sergio Moraes/Reuters
Imagem: Sergio Moraes/Reuters

Nada de cúmbia

O atacante colombiano Yony González, que não fez uma partida ruim apesar de errar finalizações, perdeu oportunidade de fazer o quinto do Fluminense. Ele sofreu pênalti, foi para a cobrança e parou em defesa de Cuadrado.

O time tricolor tem tido problemas nos pênaltis durante a temporada. Luciano, em tempo normal, perdeu três - um deles em vitória sobre o Antofagasta (CHI), na primeira fase da Sul-Americana. Agora, foi a vez de Yony desperdiçar.

Tempo cauteloso

Com a vantagem no placar, o Fluminense passou a ter uma atuação mais prudente e a apostar em bolas mais longas. Com o time mais contido, os espaços para o Nacional passaram a ser escassos.

Luciano e Gilberto chegaram a tirar o "Uuuhh" da torcida tricolor, que fazia o coro de "mais um", mas os números finais do confronto foram os mesmos do primeiro tempo.

Ovacionado

Aos 45 minutos do segundo tempo, João Pedro saiu para a entrada de Pablo Dyego. O jovem atacante saiu sob aplausos de todo o Maracanã e com os torcedores gritando o nome dele.

Reencontro doloroso

O técnico do Atlético Nacional é Paulo Autuori, que ano passado teve passagem como diretor de futebol do Fluminense. Neste reencontro, o Tricolor "ajudou" a aumentar a crise pela qual passa o clube colombiano - Autuori chegou a colocar o cargo à disposição, mas foi convencido a ficar.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 4 X 1 ATLÉTICO NACIONAL

Data: 23/05/2019
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Hora: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Claudio Rios (CHI)
Cartões amarelos: Caio Henrique (FLU); Bocanegra, Yabur, Cepellini e Rovira (ATL)
Público / renda: R$ 761.850,00 / 26.494 pagantes
Gols: João Pedro, aos 2 minutos do primeiro tempo (FLU); João Pedro, aos 7 minutos do primeiro tempo (FLU); Luciano, aos 11 minutos do primeiro tempo (FLU), Barcos, aos 17 minutos do primeiro tempo (ATL); João Pedro, aos 32 minutos do primeiro tempo (FLU)

FLUMINENSE
Agenor, Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique; Allan, Daniel (Igor Julião) e Paulo Henrique Ganso; Yony González, Luciano (Marcos Paulo) e João Pedro (Pablo Dyego). Técnico: Fernando Diniz

ATLÉTICO NACIONAL
Cuadrado, Gilberto García, Bocanegra, Nicolás Hernández e Deiver Machado; Rovira, Sebastián Gómez, Juan Romírez (Yabur), Cepellini e Vladimir Hernández; Barcos. Técnico: Paulo Autuori