Topo

Esporte


Negociação de volante da seleção pode render 'merrequinha' ao Madureira

 Anne-Christine POUJOULAT/AFP
Volante Allan, convocado para a Copa América, pode trocar Napoli por PSG - e render dinheiro a clubes formadores Imagem: Anne-Christine POUJOULAT/AFP

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

2019-05-24T04:00:00

24/05/2019 04h00

A convocação do volante Allan para a seleção brasileira que disputará a Copa América de 2019 deve esquentar rumores para a temporada 2019/2020. Atualmente no Napoli, o jogador é cotado como reforço do Paris Saint-Germain. E caso a transferência ocorra, renderá "uma merrequinha" aos cofres do Madureira, um dos clubes responsáveis pela formação do atleta.

Segundo dados do site Transfermarkt, Allan defendeu o Madureira durante um mês em 2008, um mês em 2009 e um mês em 2010, sendo sempre emprestado ao Vasco nos intervalos. No começo de 2011, pouco antes de completar 20 anos, teve seus direitos negociados com o Deportivo Maldonado (Uruguai), que o cedeu novamente ao clube cruzmaltino.

A imprensa internacional calcula que o ex-vascaíno custaria 60 milhões de euros (cerca de R$ 275 milhões) ao PSG. Deste valor, 5% é destinado a pagar os clubes formadores, segundo o Mecanismo de Solidariedade da Fifa. A quantia é então "fatiada" por ano.

@MadureiraEC_BR/Twitter
Allan defendeu o Madureira antes de se transferir para o Vasco; atualmente está no Napoli Imagem: @MadureiraEC_BR/Twitter
Conforme os dados do Transfermarkt, o Madureira teria direito a 8,3% do valor computado pelos anos de 2008, 2009 e 2010. Somados, os três anos destinam 1,5% do total da transferência ao formador - ou 900 mil euros. Mas como o Madureira só receberia parte deste valor, o total direcionado ao clube seria de pelo menos 74,7 mil euros, ou pouco mais de R$ 341 mil.

Nada que anime muito Elias Duba, o presidente do Madureira. Por enquanto, o dirigente vê a possível transferência de Allan como "só especulação", e adota um discurso comedido a respeito da possível compensação financeira que seu clube poderá receber.

"Tem lá o direito de formação, tem uma merrequinha para dividir", afirma Duba por telefone ao UOL Esporte. O restante do valor deverá ser divido entre times como Vasco, Flamengo (no qual ele atuou rapidamente aos 13 anos) e Olaria.

E caso o dinheiro de fato chegue a Conselheiro Galvão, já tem destino certo: quitar dívidas. "O que entra no Madureira é para pagar conta", resume Elias Duba - que, apesar da pouca empolgação com os números, lembra com carinho da passagem do volante pelo clube.

"Quando ele chegou aqui, a gente achava que ele tinha até idade superior à que apresentava. Depois fomos vasculhar e vimos que não, porque ele era acima da média", conta o dirigente. "Lá (no Vasco) ele emplacou, virou um jogador de futebol realmente, foi titular lá muito tempo. Hoje é sucesso no Napoli, um dos principais jogadores, foi convocado para a seleção. Está valorizado", acrescentou.

Mais Esporte