Topo

Brasileirão - 2019


Após empate, Sampaoli reclama de demora por centroavante: "Pedi há meses"

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Do UOL, em São Paulo

26/05/2019 18h48

Santos e Internacional bem que buscaram balançar as redes da Vila Belmiro hoje em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, mas acabaram empatando em 0 a 0. Questionado sobre a falta de um centroavante de ofício entre as principais opções do elenco, o técnico Jorge Sampaoli voltou a reclamar sobre a demora da diretoria para trazer reforços.

"Buscamos jogadores que tenham característica de fazer gol. Há cinco meses que pedimos centroavantes, para que a equipe tenha essa opção. Isso pode modificar situações de jogo, por isso pedimos à diretoria a contratação de jogadores que tenham esse perfil", disse Sampaoli em entrevista coletiva, antes de citar nomes de dois jogadores. "Quando falamos de Ricardo Oliveira, de Uribe, de jogadores que tenham muitos gols, é porque a equipe necessita".

Apesar de não ter as características citadas por Sampaoli, o atacante Marinho chegou para reforçar o clube, e inclusive assistiu ao empate contra o Internacional em um dos camarotes da Vila Belmiro. O atacante foi envolvido em negociação que incluiu a ida do zagueiro David Braz ao Grêmio, seu antigo clube. Sampaoli avaliou a contratação de Marinho.

"A possibilidade de ter Marinho aconteceu há pouco tempo, e pensamos que é um extremo, um canhoto, que pode dar valor e profundidade ao time. Pode nos dar, nessa posição, um argumento a mais", disse Sampaoli. "Esperamos que nos mostre sua capacidade", acrescentou.

Contra o Internacional, Sampaoli entrou em campo com Soteldo e Rodrygo, mas a equipe não criou chances claras de gol na primeira etapa. Logo no intervalo, o treinador promoveu a entrada de Eduardo Sasha, que passou a jogar mais centralizado. Um dos melhores em campo, Rodrygo, que foi dispensado pela seleção sub-23 e segue no Santos, chegou a sofrer pênalti no segundo tempo, mas, após consulta ao Árbitro de Vídeo (VAR), o lance foi anulado.

"Nos primeiros 30 minutos, a equipe encontrou espaços, tinha linha de passe. No segundo tempo, a situação da partida variou. Precisamos, quando temos o domínio, criar e converter mais situações, para que o rival mude de atitude", analisou Sampaoli. "Buscamos o gol durante todo o segundo tempo", finalizou.

Com 11 pontos no Brasileirão, o Santos volta a campo no próximo domingo (2), quando enfrenta o Ceará, fora de casa, no estádio Castelão, às 16h (de Brasília).