Topo

Raí rebate Andrés Sanchez: " Tem coisas mais graves para ele se preocupar"

Raí é executivo de futebol do São Paulo - Marcello Zambrana/AGIF
Raí é executivo de futebol do São Paulo Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Flávio Latif e José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

16/07/2019 16h47

Durante o treino do São Paulo, hoje à tarde, no CT da Barra Funda, Raí negou a acusação do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, de que tenha se oferecido para trabalhar na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O executivo de futebol do Tricolor Paulista disse que permanecerá no clube.

"Primeiro, é lamentável ter que vir aqui para falar da declaração do Andrés Sanchez. Segundo, estou aqui em respeito a torcida do São Paulo, eu não largo desafio no meio e não troco São Paulo por nada. Terceiro, se ele está falando de mim e do São Paulo é porque está preocupado com a gente. E, por fim, todo mundo sabe que ele tem coisas mais graves para ele se preocupar", disse Raí.

Durante o programa Jogo Sagrado, da FOX Sports, o mandatário alvinegro acusou Raí de tentar substituir Edu Gaspar na coordenação de seleções. "Até que ele (Raí) está pedindo e telefonando para vir para a CBF para o lugar do Edu (Gaspar). Pô... falta de respeito com a torcida do São Paulo e com o presidente do São Paulo", disparou Andrés.

Antes, o coordenador de Seleções Femininas da CBF e conselheiro vitalício do São Paulo, Marco Aurélio Cunha também havia entrado na polêmica ao publicar em seu perfil no Instagram uma conversa que teve com o ex-jogador, que nega qualquer possibilidade de trabalhar na entidade responsável por gerenciar o futebol nacional.

"Pelo menos não agora. Sei que a minha missão aqui (no São Paulo) será importante, e não muito longa (não quero também), mas não agora. Vou cumprir a minha missão de colocar nos trilhos, apesar de muita gente atrapalhar e torcer contra. Nenhuma vontade de trabalhar fixo na CBF", escreveu o campeão mundial de 92, para o médico, no dia 18 de junho.

Em contato com o UOL Esporte, Marco Aurélio Cunha apresentou a íntegra da conversa que teve com o dirigente tricolor como prova de que Raí não teria interesse de deixar o clube. O médico ainda disse que o presidente da CBF, Rogério Caboclo, teria admiração pelo trabalho desenvolvido pelo ex-jogador, que ainda assim refutou qualquer possibilidade de deixar o Morumbi.