Topo

Ceará se impõe no Castelão e derruba invencibilidade do Palmeiras

Do UOL, em São Paulo

20/07/2019 20h59

Caiu o último invicto do Campeonato Brasileiro e o Ceará é o grande responsável por isso. Com uma atuação de respeito no Castelão, em Fortaleza, o Vozão se impôs diante dos titulares do Palmeiras e venceu por 2 a 0, provocando até gritos de "olé" na torcida. O Verdão ainda não havia sido derrotado neste ano pelo torneio nacional e somava 33 partidas de invencibilidade somando a edição do ano passado, quando foi campeão.

Os bonitos gols do Ceará foram marcados por Mateus Gonçalves e Leandro Carvalho. O resultado aumenta a pressão sobre o Palmeiras, que já sofreu com protestos da torcida após cair na Copa do Brasil para o Internacional na última quarta-feira. Agora, o time de Luiz Felipe Scolari precisa ir à Argentina enfrentar o Godoy Cruz na terça-feira, na abertura das oitavas de final da Copa Libertadores da América.

Na 12ª rodada da Série A, os alviverdes recebem o Vasco da Gama no Allianz Parque, às 17h de sábado. No mesmo dia, mas às 19h, o Ceará visita o Internacional no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Pedro Chaves/AGIF
Imagem: Pedro Chaves/AGIF

Quem foi bem: Valdo

Grande atuação do zagueiro do Ceará. Foi impecável em antecipações a Deyverson e mostrou bastante qualidade na saída de bola. Sua velocidade e os passes verticais ajudaram o Vozão a escapar das tentativas de pressão do Palmeiras. Ricardinho, no meio de campo, foi outro que jogou bem, controlando o ritmo da partida no segundo tempo.

Quem foi mal: Diogo Barbosa

O lateral-esquerdo parecia muito nervoso em campo, inclusive cobrando companheiros por lances de desatenção. Mas ele mesmo esteve mal. Sofreu com Mateus Gonçalves e não percebeu a infiltração de Leandro Carvalho no segundo gol do Ceará. Gustavo Scarpa também não foi bem e até saiu no intervalo.

Felipe Melo leva 3º amarelo e se irrita com time

O volante Felipe Melo teve boa atuação em Fortaleza, bem acima da média da maioria de seus companheiros de Palmeiras. E essa diferença de sintonia o deixou inconformado. Após seguidos erros de marcação, Melo matou um ataque do Ceará com falta dura, levou cartão e saiu esbravejando contra os colegas, cobrando mais atenção. Para piorar, esse foi o terceiro amarelo do volante, que será desfalque contra o Vasco da Gama.

Atuação do Ceará

O próprio técnico Enderson Moreira admitiu que não esperava ver o Palmeiras com força máxima. Talvez por isso, o Ceará tenha ficado acuado nos minutos iniciais. Mas o Vozão teve paciência para se reorganizar durante o jogo e teve um bom desempenho, com a dupla de zaga segura e saídas rápidas para contra-atacar. Faltou mais capricho para matar o resultado, principalmente para o atacante Felippe Cardoso.

Atuação do Palmeiras

A questionável decisão de mandar o time titular a campo no meio de tantos jogos decisivos e viagens longas fica ainda mais em evidência com a atuação ruim e a perda da invencibilidade de 33 jogos no Brasileirão, somando as edições de 2018 e deste ano. A defesa ficou enterrada demais na área, com o meio de campo disperso e o ataque pouco efetivo.

Pedro Chaves/AGIF
Imagem: Pedro Chaves/AGIF

Cronologia do jogo

O primeiro tempo foi truncado, sem grandes emoções. O Palmeiras até começou mais adiantado e prometendo uma postura agressiva, que rapidamente foi neutralizada pelo Ceará e pela apatia de seus próprios jogadores. Os donos da casa perceberam o ritmo baixo dos paulistas e passaram a atacar mais, quase sempre pelos lados.

Foi assim que, aos 31 minutos da etapa inicial, Mateus Gonçalves abriu o placar. O atacante arrancou pela direita, cortou três marcadores até chegar ao lado esquerdo da área e tocar para João Lucas. O lateral-esquerdo arriscou e a bola espirrou de volta para Mateus, que bateu de primeiro para fazer bonito gol no canto direito de Weverton. O Alviverde reclamou de falta em Deyverson na origem do lance, o VAR chegou a ser consultado, mas nada de anormal foi apontado pela arbitragem.

Felipão mexeu no intervalo e antes dos dez minutos do segundo tempo, sempre tentando deixar o Palmeiras mais agressivo. Willian e Raphael Veiga foram escolhidos para entrar e Deyverson conseguiu arrumar mais espaços para finalizar. Só que a partida alviverde foi fraca tecnicamente, com muitos erros de passe e finalizações sem direção. Até Ramires, recém-chegado, foi usado no lugar de Dudu, sem sucesso na estreia.

O Palmeiras chegou a ter um pênalti marcado por toque de mão de Luiz Otávio, mas o árbitro Rodrigo D'Alonso Ferreira conferiu o lance no VAR e anulou a jogada corretamente, seguindo a nova recomendação da Fifa por toques com a mão no chão. Pouco depois, o castigo ao Verdão aumentou: Leandro Carvalho, que acabara de substituir Mateus Gonçalves, entrou sozinho entre Gómez e Diogo Barbosa e marcou um golaço ao encobrir Weverton.

Pedro Chaves/AGIF
Imagem: Pedro Chaves/AGIF

Destaque do Vozão passou pela base do Palmeiras

Mateus Gonçalves viveu grande noite no Castelão. O atacante de 24 anos mostrou velocidade e coragem para fazer jogadas individuais e ainda foi coroado com um bonito gol. O curioso é que o Palmeiras é um velho conhecido dele. Matheus passou pelas categorias de base do Verdão em 2014, antes de iniciar uma carreira pelo futebol mexicano - até hoje pertence ao Tijuana, que o emprestou a Sport, Fluminense e Ceará nos últimos meses.

FICHA TÉCNICA:
CEARÁ 2X0 PALMEIRAS

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 20 de julho de 2019 (sábado)
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo D'Alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Helton Nunes e Thiaggo Americano Labes (SC)
VAR: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Cartões amarelos: Luiz Otávio, William Oliveira e Felippe Cardoso (Ceará); Felipe Melo e Gómez (Palmeiras)

Gols: Matheus Gonçalves aos 31 minutos do primeiro tempo e Leandro Carvalho aos 26 minutos do segundo tempo (Ceará)

Ceará: Diogo Silva; Samuel Xavier, Valdo, Luiz Otávio e João Lucas; Ricardinho, William Oliveira (Pedro Ken) e Thiago Galhardo; Mateus Gonçalves (Leandro Carvalho), Felipe Silva (Fernando Sobral) e Felippe Cardoso. Técnico: Enderson Moreira.

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa (Willian); Dudu (Ramires), Zé Rafael (Raphael Veiga) e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.