Topo

Brasileirão - 2019


Palmeiras empata em casa com pênaltis assinalados pelo VAR para o Bahia

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

11/08/2019 18h05

Jogando no Allianz Parque, o Palmeiras recebeu a visita do Bahia hoje (11), em partida válida pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, e ficou perto de vencer seu primeiro jogo na competição depois da Copa América. Dudu abriu o placar no primeiro tempo, mas Felipe Melo foi expulso e deixou o time com um a menos, permitindo com que o Bahia crescesse e deixasse o estádio com empate por 2 a 2.

A partida também ficou marcada pela utilização do Árbitro de Vídeo. Os dois gols do Bahia foram marcados por Gilberto, de pênalti, após o árbitro consultar o VAR e confirmar as penalidades para a equipe visitante.

Com o resultado, o Palmeiras deixou escapar a chance de encostar no Santos, atual líder do Brasileirão. Agora, o Verdão possui 29 pontos, a três do rival paulista. Na próxima rodada, a equipe enfrenta o Grêmio, fora de casa, no sábado (17). Enquanto isso, o Bahia chegou aos 20 pontos e manteve-se na décima posição. A equipe enfrenta o Goiás no domingo (18).

Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Quem foi bem: Dudu

Muito criticado pela torcida desde a eliminação para o Internacional na Copa do Brasil, Dudu voltou a ter uma atuação decisiva pelo Palmeiras. Foram dois gols de oportunismo e muita entrega, principalmente depois do empate do Bahia, no início do segundo tempo, quando o Verdão já tinha um jogador a menos. Essa determinação empurrou o time para frente mesmo diante das adversidades e inflamou os torcedores no Allianz Parque.

Quem foi mal: Moisés

O lateral-esquerdo do Bahia, que já defendeu o Corinthians, foi a principal vítima da grande jornada de Dudu. Errou demais na saída de bola, deu espaço na marcação e ainda ficou em situação mais difícil porque não tinha apoio para segurar as triangulações entre Dudu, Gustavo Scarpa e Marcos Rocha. Até por isso, Giovanni também merece críticas. Não à toa foi sacado no intervalo por Roger Machado.

Felipe Melo é expulso e complica futebol do Palmeiras

Jogador com maior número de cartões amarelos no Brasileirão (sete), Felipe Melo voltou a complicar a vida do Palmeiras com uma dura falta desnecessária que resultou na expulsão do volante. Líder do meio de campo, Felipe Melo realizava partida consistente, bem na marcação e apoiando o ataque. No entanto, perto do fim do primeiro tempo, deixou o braço em dividida com Lucca e recebeu cartão vermelho, deixando o Palmeiras com um a menos durante todo o segundo tempo. Terceira suspensão de Felipe Melo no Brasileirão - duas vezes por cartão amarelo e uma por vermelho.

Atuação Palmeiras

O primeiro tempo do Palmeiras está entre os melhores momentos do time depois da Copa América. A equipe foi arrojada, marcou pressão, trocou passes com velocidade e entrou o tempo todo na área de Douglas. A partida parecia controlada no fim do primeiro tempo, até o lance violento que custou a expulsão de Felipe Melo. Na etapa final, Felipão retomou naturalmente uma postura mais conservadora ao trocar Zé Rafael por Thiago Santos, mas com ordens para contra-atacar o tempo todo. Assim, o Bahia manteve o empate por apenas alguns minutos e ficou em risco pelos contragolpes. O recuo excessivo e um pênalti duvidoso no fim acabaram castigando o Verdão, que voltou ao ataque quando Gregore foi expulso, mas não conseguiu escapar do empate.

Atuação do Bahia

A solidez defensiva que vinha sendo o ponto mais forte do Bahia de Roger Machado esteve longe do Allianz Parque. Houve muita falha no sistema de marcação, principalmente pelo lado esquerdo e entre os dois zagueiros. Foi assim que Dudu apareceu para marcar duas vezes. Com a bola no pé, o Tricolor mostrou pouca criatividade e só chegou ao gol de Weverton com Gilberto. Na etapa inicial, o centroavante driblou o goleiro e errou o chute. No segundo, foi bem para converter os pênaltis. Fora isso, fez pouco para merecer vencer.

Cronologia

Sob os olhares de seus torcedores, o Palmeiras dominou o primeiro tempo. Com time leve e realizando boas triangulações no ataque, a equipe logo começou a procurar o estreante Luiz Adriano centralizado na pequena área. Na primeira boa finalização da equipe, o novo camisa 10 mandou a bola perto da trave em cabeceio. Melhor em campo, o Palmeiras contou com um vacilo da defesa do Bahia para abrir o placar. Após cruzamento, o lateral-esquerdo Moisés tentou afastar a bola e mandou contra o próprio patrimônio, exigindo defesa de Douglas. O goleiro espalmou para o lado, nos pés de Dudu, em posição legal, que balançou as redes.

Depois do gol, o Palmeiras manteve a blitz no ataque e ficou próximo de ampliar, novamente com Luiz Adriano finalizando para a defesa de Douglas no alto. Perto do fim da partida, o volante Felipe Melo, que fazia primeiro tempo consistente, deixou o cotovelo em entrada no atacante Lucca, que disputava bola no alto com Diogo Barbosa, e foi expulso ao levar o cartão vermelho.

Na volta do intervalo, Felipão promoveu a entrada de Thiago Santos para ajudar na marcação. O treinador, no entanto, não contava que com menos de 5 minutos Diogo Barbosa colocaria a mão na bola dentro da área: pênalti para o Bahia, marcado pelo árbitro após cerca de quatro minutos de consulta ao VAR. Na cobrança, o centroavante Gilberto deslocou Weverton e deixou tudo igual. Com Dudu procurando o ataque, a torcida palmeirense se inflamou no Allianz e, aos 12 minutos, Dudu aproveitou arremesso lateral longo de Marcos Rocha e voltou a colocar o Palmeiras à frente do placar. No fim de jogo, já com o Palmeiras fechado, o Bahia teve novo pênalti, em falta de Luan em cima de Arthur Caíke. Na cobrança, Gilberto novamente marcou.

Daniel Vorley/AGIF
Imagem: Daniel Vorley/AGIF

Reforços são ovacionados no Allianz

Assim que o locutor do Allianz Parque anunciou os nomes do zagueiro Vitor Hugo e do atacante Luiz Adriano, reforços recém-contratados pelo Palmeiras, a torcida mostrou seu contentamento com as contratações e comemorou muito. Defensor do Verdão entre 2015 e 2017, Vitor Hugo retorna ao clube depois de passagem pela Fiorentina, da Itália. Em seu primeiro toque na bola, o defensor foi ovacionado pelos torcedores. Já Luiz Adriano, quando substituído no segundo tempo, também foi bastante aplaudido.

Demonstração de carinho entre os técnicos

Minutos antes do início da partida, o técnico Luiz Felipe Scolari caminhou até o banco de reservas do Bahia para cumprimentar e abraçar Roger Machado, treinador do clube rival e ex-comandado de Felipão. Roger, ex-lateral, foi jogador de Felipão quando vestia a camisa do Grêmio, em 1994. Em entrevista, Roger afirmou que Scolari foi "um dos grandes responsáveis pela minha ascensão como jogador".

Ficha técnica
Palmeiras 2 x 2 Bahia

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 11 de agosto de 2019, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Igor Benevenuto (MG)
Assistentes: Sidmar dos Santos Meurer e Ricardo Júnio de Souza (ambos de MG)
VAR: Ricardo Marques (MG)
Público: 34.275
Renda: R$ 2.160.817,20

Cartões amarelos: Marcos Rocha, Zé Rafael, Gustavo Scarpa, Diogo Barbosa, Thiago Santos e Dudu (Palmeiras); Giovanni, Lucca, Gregore e Wanderson (Bahia)

Cartões vermelhos: Felipe Melo (Palmeiras); Gregore (Bahia)

GOLS: Dudu aos 13/1ºT e aos 12/2ºT; Gilberto aos 7/2ºT e aos 39/2ºT

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Vitor Hugo e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Gustavo Scarpa; Zé Rafael (Thiago Santos), Luiz Adriano (Deyverson) e Dudu
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Bahia: Douglas Friedrich; Nino Paraíba (Ezequiel), Lucas Fonseca, Wanderson e Moisés; Gregore, Flávio (Ramires) e Giovanni (Arthur Caike); Élber, Lucca e Gilberto
Técnico: Roger Machado