Ainda sem acordo com Globo, Palmeiras admite ficar fora da TV aberta em 19

  • Ale Cabral/AGIF

Líder com cinco pontos de vantagem, o Palmeiras tem boas chances de ficar com o título do Brasileirão-2018. Mas, na próxima temporada, pode defender o título sem ter jogos do torneio na televisão aberta. O clube e a Globo estão longe de um acordo no momento e, por isso, o presidente Maurício Galiotte considera a possibilidade de ter partidas do time somente em canais do grupo do Esporte Interativo, com quem o clube tem contrato de seis temporadas, valendo até 2024.

"É uma possibilidade. Se chegarmos a um acordo, teremos o Palmeiras na TV aberta. Caso contrário, não. Sabemos o valor da nossa marca e como somos importantes para o futebol brasileiro, quanto geramos de audiência. Isso tudo está sendo negociado e debatido. Obviamente, é uma negociação grande, mas tratada com muito respeito e muita responsabilidade, zelando pelos interesses do Palmeiras", disse o mandatário ao LANCE!

Leia também:

O acordo atual entre Palmeiras e Globo se encerra no final deste ano e o LANCE! apurou que a diferença entre o valor pedido pelo clube e a oferta da emissora ainda é muito grande. O Palmeiras bate o pé com números que apontam o valor de sua marca e, inclusive, o retorno de sua audiência, já que foi campeão brasileiro em 2016, vice no ano passado e lidera a edição atual. Por isso, acredita que merece receber mais pelos seus direitos de transmissão.

"O Palmeiras tem uma linha de conduta e argumentação bastante técnica nessa negociação com a Globo. Expusemos aos executivos da Globo os nossos números. Temos pesquisa, dados do retorno que o Palmeiras oferece. Fizemos a nossa proposta, a Globo fez a proposta dela. Ainda estamos distantes do ideal. Essa é a posição de momento. Vamos aguardar", disse Galiotte.

Ficar fora da TV aberta afetaria diretamente os planos da própria Globo no Campeonato Brasileiro. Sem acordo com o Palmeiras, a emissora não poderia transmitir nenhuma partida envolvendo o time, comprometendo a possibilidade de exibir partidas decisivas ou clássicos.

A princípio, caso não haja acordo com a Globo, o clube descarta a possibilidade de transmitir seus jogos na TV Palmeiras, já que, para isso, seria necessária a liberação de cada um dos adversários. Assim, por enquanto, o grupo do Esporte Interativo, que tem canais da TV fechada, é o único que tem as partidas do clube garantidas nas próximas seis edições da competição.

O acordo do Palmeiras com o Esporte Interativo, inclusive, tem causado incômodo. O clube recebeu R$ 100 milhões para fechar este acordo - metade paga no fim do mandato de Paulo Nobre, e outra metade no início da gestão de Maurício Galiotte, em 2017, como revelou o LANCE! na ocasião. O Santos, que recebeu R$ 60 milhões a menos, já esboçou irritação com a desigualdade. Mas Galiotte alega não ter sido procurado e assegura o cumprimento do contrato, mesmo com a extinção do canal Esporte Interativo em agosto.

"Não fui procurado por nenhum clube. Cada um tem seu contrato com o Esporte Interativo e que sejam cumpridos. Existe uma possibilidade contratual de a transmissão do jogo do Palmeiras não ser neste canal, mas na TNT, que também é do grupo. Estamos tratando juridicamente disso e também através de diálogo e do bom relacionamento que temos com eles. Vamos cumprir o contrato normalmente. Da nossa parte, não vejo problema no que ocorreu", disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos