Topo

Palmeiras

Reação de Zé Rafael após perder pênalti decisivo é elogiada no Palmeiras

Ale Cabral/AGIF
Ze Rafael, do Palmeiras, disputa lance com Luis Ricardo, da Ponte Preta, durante partida pelo Paulista Imagem: Ale Cabral/AGIF

2019-04-14T10:25:20

14/04/2019 10h25

Há uma semana, Zé Rafael cobrou seu primeiro pênalti com a camisa do Palmeiras, viu Tiago Volpi defender e ficou olhando a bola no ar enquanto os jogadores do São Paulo comemoravam ao seu redor a classificação para a final do Campeonato Paulista. O recém-contratado meia-atacante parecia não acreditar ter virado um potencial vilão de uma eliminação no Allianz Parque. Mas já mostrou uma recuperação digna de elogios no clube.

O camisa 8 já tinha se destacado ao entrar no segundo tempo do clássico do domingo passado e, na partida seguinte, virou titular, na vitória por 3 a 0 sobre o colombiano Junior Barranquilla, pela Libertadores, no Allianz Parque, na quarta-feira. Foi uma demonstração de apoio do técnico Luiz Felipe Scolari, que deixou Ricardo Goulart no banco. E o ex-meia do Bahia atuou bem novamente.

"Escalei pelas características do adversário, que tinha um lateral direito que passava bastante e nos dava oportunidade de passar por aquele lado, e, também, para dar ao Zé Rafael a oportunidade de começar um jogo depois do jogo em que alguns quiseram cobrar essa dificuldade do Zé porque perdeu um pênalti. Preciso resgatar meu jogador" explicou Felipão.

Leia também

Novos pontas do Palmeiras passam longe de repetir desempenho de Willian
Palmeiras deve intensificar rodízio no elenco com o início do Brasileirão

A sensação é de que Zé Rafael já trilha um caminho para deixar para trás o pênalti perdido. A impressão fica por conta de Bruno Henrique, que também desperdiçou uma cobrança decisiva, no Allianz Parque, que custou uma eliminação logo depois de chegar ao clube, nas oitavas de final da Libertadores de 2017, contra o Barcelona do Equador.

"É natural que todo jogador, quando erra pênalti, sente uma cobrança. Às vezes, é uma cobrança pessoal. Sabemos a responsabilidade que é bater pênalti e errar. Já passei por isso aqui. Mas estamos sujeitos a isso. Nós, jogadores, trabalhamos muito para não errar, só que, infelizmente, isso acontece", argumentou o capitão.

Vindo do Bahia, Zé Rafael se tornou neste início de ano um dos principais pontos de discordância entre torcida e Scolari. Antes do Choque-Rei da semana passada, tinha atuado só três vezes no Estadual (todas como titular, contra Botafogo, Mirassol e Ponte Preta), mas chegou a ser cortado do banco de reservas na Libertadores.

Agora, contudo, sua capacidade de reação o faz ganhar pontos com o treinador. Felipão deve repetir a intensa alternância de escalações enquanto disputa Campeonato Brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil, como fez no ano passado, e Zé Rafael passa a ser peça importante nesse rodízio. Para os companheiros, sua imagem é de alguém trabalhador e consciente.

"O Zé é um cara que, desde que chegou, como outros, trabalha, buscando seu espaço. Contra o São Paulo, jogou muito bem. Contra o Junior Barranquilla, teve oportunidade e também fez uma boa partida, principalmente taticamente, ajudando. Como tem vários jogadores que terão oportunidade no ano todo, como o Felipão sempre fez com o nosso grupo desde que chegou, e os jogadores estão correspondendo - opinou Bruno Henrique.

Fora das finais do Campeonato Paulista, o elenco do Palmeiras recebeu folga neste fim de semana. O próximo compromisso da equipe será apenas no dia 25, às 23h (horário de Brasília), no Peru, contra o Melgar, pela Libertadores. Três dias depois, a equipe estreia no Campeonato Brasileiro recebendo o Fortaleza no Allianz Parque.

Alex sobre gol de chapéu contra Ceni: "Ainda é muito vivo"

UOL Esporte