Topo

Vôlei


Giba diz ter feito empréstimos para pagar pensão: "Não quero ser preso"

Daiane Andrade/BandNews Curitiba
Giba concede entrevista coletiva para falar sobre a pensão dos filhos Imagem: Daiane Andrade/BandNews Curitiba

Do UOL, em São Paulo

06/03/2018 09h26

O ex-jogador Giba falou sobre a polêmica envolvendo o pagamento da pensão de seus dois filhos. O campeão olímpico revelou ter pego empréstimos com amigos e familiares para pagar a dívida de R$ 82 mil, rebateu acusações da ex-mulher Cristina Pirv e reclamou do valor mensal estabelecido de R$ 12 mil para a pensão.

"Fiz vários empréstimos. Para pagar tudo agora eu fiz vários empréstimos com meus amigos", disse Giba em entrevista coletiva em Curitiba - que foi transmitida ao vivo no Instagram do ex-jogador nesta terça-feira (6). A presença do UOL no evento foi censurada pelo ex-atleta da seleção brasileira. "Decidi pagar porque não quero ir preso e não quero manchar a minha imagem. Eu tenho amigos, e ainda não sei como vou pagar [o empréstimo]".

Para questionar o valor de pensão, a defesa de Giba sustenta que, em 2013, ano em que o montante foi estabelecido, o ex-jogador tinha como principal renda o salário de comentarista da TV Globo. Porém, deixou a função em 2017 para trabalhar na Band, onde participou do reality show Exathlon Brasil. Atualmente o campeão olímpico não tem mais ligação com nenhuma das emissoras e ele alega que seus rendimentos caíram drasticamente.

"Não ganho mais aquilo que eu ganhava, eu vivo o dia a dia. O único salário fixo que eu tinha era o da Globo, vi total sendo colocado na conta dela [Pirv]. E se eu não tivesse palestras ou a família da minha esposa para ajudar? Isso está errado. A Justiça tem que ver melhor, não generalizar", reclamou Giba. 

Em 9 de fevereiro Giba teve prisão de 60 dias decretada pela Justiça devido ao não pagamento de aproximadamente 10 meses de pensão alimentícia de seus filhos Nicoll e Patrick, no valor de R$ 82 mil. O ex-jogador, porém, estava no exterior e não chegou a ser detido. Dias depois, conseguiu uma liminar que suspendeu a decisão até realização de audiência. No último dia 3, efetuou o depósito integral do montante em juízo.

"Não existe mais o glamour que tinha antes. Existe a situação do Brasil que está hoje. Não sou mais jogador, dependo das palestras e tudo mais. Perguntaram o que eu fui fazer no aniversário do Neymar. Fui fazer business, fui trabalhar também", alegou Giba.

Giba se diz chateado com a maneira como o assunto foi abordado na imprensa. O ex-ponteiro reitera que não havia como quitar as pensões e entende que Pirv misturou sentimentos para criticá-lo na mídia.

"Estamos aqui para falar dos meus filhos e estou preocupado com eles, com essa exposição. Não poderia ir para a mídia os valores e tudo mais. Mudei a minha vida para pagar metade do preço para ficar perto dos meus filhos. Não posso viver em qualquer lugar, vivo da minha imagem", reclamou. 

"É muito difícil ver [esta situação] pela história que eu construí. A última vez que estava em situação como esta foi na época do doping, e reconheci que eu errei", disse o ex-jogador. "A vida que meus filhos levam é privilegiada e fico muito chateado pelos comentários. Mas cada um tem uma vida, eu sou uma figura pública, minha vida está na mídia".

"Mas fico muito triste não só com meu caso, mas com o Brasil inteiro. Existe muitos pais que fazem isso. Mães que tentam atingir o pai através dos filhos. No casamento que acabou vai ter ex-marido e ex-mulher, mas não ex-pai e ex-mãe. Isso está atrapalhando minha vida, meus próprios patrocinadores", comentou.

Em entrevista ao UOL Esporte, Pirv declarou que Giba não vê os filhos desde 19 de janeiro. Nesta terça-feira o ex-jogador negou que tenha abandonado as crianças e justificou a ausência afirmando ter viajado a trabalho, com documentos para provar. Ele ainda falou sobre a proposta de pagar parte do valor de pensão, referente ao estudo das crianças, através de uma bolsa de estudos oferecida por uma escola de Curitiba - o que, segundo Pirv, não deu certo devido à dificuldade de adaptação dos filhos.

"O diferencial do ensino é quando você doa sua imagem. Meus filhos também seriam garotos-propagandas para ganhar a bolsa no colégio e ir aprendendo também. Isso perante a várias coisas", afirmou Giba. "A situação do Brasil não está hoje para você pagar R$ 6 mil em uma escola. Precisa ganhar 100 mil por mês".

"Tenho respeitado a mãe dos meus filhos, mas é incoerente todas as acusações que estão sendo faladas. É triste você ver o julgamento das pessoas. É o típico Brasil que esquece o que aconteceu ontem. Quando a gente rebate, não fica bem para as crianças, é por isso que nunca falei. Mas chegou a um ponto que está atrapalhando a minha vida, o rendimento que posso oferecer para os meus filhos. Porque vivo da minha imagem", reclamou.