Japão

Fifa vê como positiva regra de Fair Play que fez Japão segurar a derrota

Xinhua/Chen Cheng
Ninag recebe cartão amarelo após lance com Gen Shoji durante jogo entre Senegal e Japão Imagem: Xinhua/Chen Cheng

Rodrigo Mattos

Do UOL, em Moscou (Rússia)

29/06/2018 07h19

Pela primeira vez em uma Copa do Mundo um time avançou de fase por critério de disciplina. O Japão passou às oitavas, na quinta-feira, por ter levado menos cartão amarelo do que Senegal. Um dia após a inédita vaga por Fair Play, a Fifa considerou positiva a adoção da regra que premia o “jogo limpo”.

Assista ao gol da partida entre Japão e Polônia
Cissé evita reclamar de eliminação por cartões: "Sabíamos que era a regra"

Vaga nas oitavas deixa Japão no caminho do Brasil para a fase final da Copa
Simule resultados da Copa a partir das oitavas de final

Diretor de torneios e eventos da Fifa, Colin Smith exaltou nesta sexta-feira, em reunião da entidade, o critério por Fair Play e projeta a manutenção desse sistema para campeonatos futuros.

“Obviamente, o que queremos evitar é o sorteio. Esse critério é mais uma forma de se evitar a decisão por sorteio. Vamos rever após a Copa, analisar o feedback [retorno]. Não vemos nenhuma necessidade de mudar a regra", disse Smith, em evento da Fifa em Moscou.

Ciente de que poderia avançar graças ao “jogo limpo”, o Japão proporcionou cena curiosa. O time perdia para a Polônia por 1 a 0, resultado que asseguraria o time asiático nas oitavas pelo critério do Fair Play.

Mesmo estando em desvantagem no placar, os japoneses praticamente abdicaram do ataque nos 15 minutos finais de jogo, tratando de se blindar para evitar mais um gol polonês, que tiraria o Japão da fase seguinte do Mundial.

Japão e Senegal terminaram a fase de grupos com quatro pontos e empatados em saldo de gols, gols marcados e sofridos. O confronto direto entre as duas equipes, na segunda rodada, teve igualdade por 2 a 2. Sendo assim, a decisão da vaga favoreceu o time mais disciplinado: os asiáticos levaram quatro cartões amarelos contra seis dos africanos.

Após o jogo, o técnico do Japão, Akira Nishino, admitiu que pediu aos atletas para que segurassem a derrota por 1 a 0.

A estratégia japonesa foi vista com ressalvas pelo diretor da Fifa.

“Cada jogo é competitivo e todos os times querem ganhar. São casos isolados [o que aconteceu com o Japão], e se encontram neste cenário. Obviamente, a nossa posição, é que o futebol deva ser competitivo. E os fãs querem ver isso. E temos visto isso”.

“A preferência é que times avancem em gols e resultados, com ganhadores naturais. O Fair Play é um critério adicional”, disse Smith.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Japão

Topo