UOL futebol

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2011/05/31/jornalista-que-denunciou-fifa-ve-ricardo-teixeira-fraco-no-cenario-mundial.htm
  • Jornalista que denunciou Fifa vê Ricardo Teixeira fraco no cenário mundial
  • 20/08/2017
  • UOL Esporte - Futebol
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
Teixeira, com João Havelange ao fundo, é considerado fraco politicamente por Jennings

Teixeira, com João Havelange ao fundo, é considerado fraco politicamente por Jennings

31/05/2011 - 12h10

Jornalista que denunciou Fifa vê Ricardo Teixeira fraco no cenário mundial

Gustavo Franceschini e Thales Calipo
Em São Paulo

Joseph Blatter está em queda na Fifa e vê Ricardo Teixeira como a melhor opção para sucedê-lo, mas o brasileiro não é forte politicamente para assumir a presidência. Esta é a visão de Andrew Jennings, jornalista da BBC que denunciou a entidade-mor do futebol mundial e falou com exclusividade ao UOL Esporte.

“A Fifa mudou nos últimos dez dias, mudou dramaticamente. É muito difícil prever o que vai acontecer. As chances do Platini são maiores porque o Blatter está quebrado. Teixeira não terá o apoio que o Blatter tem. Terá só os dez votos da América Latina, mas isso não é suficiente. Não terá o apoio dos africanos e não vai ter acesso ao tipo de dinheiro que Blatter e Bin Hamman tiveram. Então, sem o apoio de Blatter, acho que as chances do Platini aumentaram”, disse Jennings, por telefone.

Isso não significa, no entanto, que Blatter perderá a eleição presidencial da próxima quarta. Para o jornalista, ele deve ser eleito, mas a pressão de opositores e patrocinadores deve derrubá-lo em um ano, abrindo caminho para uma nova guerra eleitoral.

Andrew Jennings é autor do livro “Jogo Sujo”, publicado no Brasil pela editora Panda Books, no qual revela detalhes de corrupção e compra de votos em eleições da Fifa e na elaboração de outros contratos da entidade. Na semana passada, ele divulgou, em seu programa “Panorama”, que Blatter, Teixeira e João Havelange teriam feito um acordo com a Justiça suíça.

O trio estaria sendo acusado de receber propina da ISL, antiga parceira de marketing da Fifa que faliu no início dos anos 2000. Para escapar da prisão, os cartolas teriam devolvido o dinheiro sujo. O acordo só não tornou-se público por conta da pressão da Fifa, que queria esperar as eleições presidenciais, que acontecerão na próxima quarta. Jennings aposta que, após o pleito, os dirigentes podem ficar expostos.

TABELINHA COM JUCA KFOURI: "ESTE É O MAIOR ESCÂNDALO DA HISTÓRIA DA FIFA"

“Não acho que seja provável que se descubra quanto Havelange e Teixeira receberam. Esse documento será publico. Blatter gastou muito dinheiro da Fifa e Havelange e Teixeira gastaram muito dinheiro com advogados para evitar a publicação do documento. Pode demorar mais um ano, mas conseguiremos tornar isso publico. Essa é a bomba-relógio”, disse o repórter.

A reportagem tentou contato com Rodrigo Paiva, diretor de comunicação da CBF, para ouvir a resposta de Ricardo Teixeira, mas não foi atendido até a publicação da matéria.

Confira abaixo a entrevista completa com Andrew Jennings:

UOL Esporte - O que você espera da eleição da Fifa, na próxima quarta-feira?
Andrew Jennings –
Com o Bin Hamman fora, Blatter deve ser coroado imperador novamente, a não ser que aconteça alguma coisa antes disso e mude tudo. Mas o Blatter e o Valcke vão fazer força para que aconteça a eleição. Se atrasar, Blatter não vai ganhar, pois novos candidatos podem aparecer, como o Platini, e o Blatter será chutado pela janela.

Acho que se o Blatter for eleito, ele não deve ficar mais um ano. Tem muita bagunça e sujeira

UOL Esporte – E se ele for eleito?
Andrew Jennings -
Acho que se o Blatter for eleito, ele não deve ficar mais um ano. Tem muita bagunça e sujeira. Sabemos de pessoas como Blatter, Warner e Teixeira. Você tem Adidas e Coca-Cola [patrocinadores da Fifa que reclamaram das denúncias]. Algumas coisas foram ditas em público, então imagine o que estão falando em particular. Eles estão chamando Jeróme Vlacke, que trabalhou como diretor de marketing e fechou os acordos, e dizendo: “Blatter, saia daqui”.  As empresas querem ele fora.

UOL Esporte – O que você achou das denúncias de Jack Warner de que a escolha do Qatar como sede de 2022 foi comprada?
Andrew Jennings -
Sabemos que Jack Warner é um maníaco. Ele não consegue parar de roubar. É praticamente doente, em se tratando de roubar. Ele não vai voltar, pois foi pego sob fortes evidências. O que é engraçado é que ele é o responsável por revelar o email do Valcke sobre o Qatar, e depois ele [Valcke] disse “Não, não, eu estava falando do poderia financeiro do Qatar”. Mas todos sabemos que não era isso. Uma pessoa que era do alto escalão da Fifa disse o que todos já sabiam, que o Qatar pagou propinas. Então isso não vai sumir, pois todos sabem que a Copa do Mundo não pode ir para o Qatar, mas não pelo dinheiro, mas sim pelo clima. Algum jogador brasileiro quer jogar a 50º C? O técnico desses jogadores quer que eles joguem nessas condições? Claro que não. Não pode acontecer no verão, pois é muito quente. Não pode no inverno, pois os clubes europeus estão disputando seus campeonatos. Então acho que deverá haver uma nova votação sobre a Copa do Mundo no Qatar, acho que Blatter sairá em até um ano, e acho que todos precisam lidar com o problema do Qatar e também com o problema da Rússia. Pois, se eles receberam dinheiro para votar no Qatar, também receberam para votar na Rússia. E esse problema não vai desaparecer.

É muito tarde para consertar isso, pois Ricardo Teixeira já se apropriou dessa Copa do Mundo. Não há mais tanto dinheiro para se roubar. O que precisa agora é de uma verdadeira ação política e da polícia para tirar o Teixeira do futebol, porque você sabe que ele irá roubar o quanto puder, e com isso, quando chegar em 2014, vamos encontrar péssimos aeroportos, estádios inacabados, estradas inacabadas...

UOL Esporte – Então você acha que Blatter não tem salvação à frente da Fifa?
Andrew Jennings -
Blatter não vai atrasar essa eleição, pois se isso acontecer ele nunca será eleito. O que o Blatter está esperando é uma aclamação, para que ele se levante e diga: “vocês me querem aqui?”, e só os que se ofenderem por receber dinheiro é que não vão gritar: “Claaaaaro, você é ótimo, irmão!”. Daí o Blatter vai saber que não precisará dos votos. Ele fez isso em Buenos Aires, em 2001, quando teve problemas. Eu acho que vai demorar um ano, mas nós vamos precisar dos ministros do Esporte. Mas aonde está o ministro do Esporte do Brasil? Está sendo pago por Teixeira? Porque ele não diz que está enojado e envergonhado pelo envolvimento do Teixeira nos escândalos? Temos esse tipo de bagunça, então não acho que o Blatter ficará de jeito nenhum por quatro anos, pois o mundo todo não o aceita mais.

UOL Esporte – Estes problemas podem afetar a Copa do Mundo de 2014?
Andrew Jennings -
Essa é uma pergunta interessante. É muito tarde para consertar isso, pois Ricardo Teixeira já se apropriou dessa Copa do Mundo. Não há mais tanto dinheiro para se roubar. O que precisa agora é de uma verdadeira ação política e da polícia para tirar o Teixeira do futebol, porque você sabe que ele irá roubar o quanto puder, e com isso, quando chegar em 2014, vamos encontrar péssimos aeroportos, estádios inacabados, estradas inacabadas... E não porque os brasileiros não conseguem fazer, porque conseguem. Mas porque o dinheiro irá evaporar, e todos sabem disso.

UOL Esporte – No seu programa na BBC, o Panorama, você revelou que Ricardo Teixeira e João Havelange tiveram de devolver propinas recebidas à Justiça suíça, e que a Fifa estaria tentando evitar a divulgação desses acordos. Podemos confiar na publicação desses documentos após a eleição de Blatter?
Andrew Jennings -
Isso não é fácil. Não acho que seja provável que se descubra quanto Havelange e Teixeira receberam. Para mim, a história crucial são os acordos secretos em Zurique, no ano passado, no escritório da procuradoria. Os nomes estão em segredo, mas sabemos que são os de Teixeira, Havelange e Blatter. Esse documento será publico. Blatter gastou muito dinheiro da Fifa, Havelange e Teixeira gastaram muito dinheiro com advogados para evitar a publicação do documento. Pode demorar mais um ano, mas conseguiremos tornar isso publico. O fato crucial desse documento é que, para conseguir fazer o acordo, eles tiveram de admitir que receberam propinas. Essa é a bomba-relógio. Pode demorar um ano para ir até a Suprema Corte em Lausanne, mas eles não conseguirão evitar, e teremos mais um escândalo antes da Copa do Mundo.

OPINIÃO DO ESPECIALISTA

Quando a Fifa irá mudar? Nunca

UOL Esporte – Como é Ricardo Teixeira na Fifa? Ele é realmente um dirigente relevante no cenário da entidade?
Andrew Jennings -
Você não ouve muito sobre ele, pois cada um está preocupado com o seu próprio império. Blatter consegue o que quer, pois ninguém se importa. Mas Teixeira tem um nome sujo ao redor do mundo. Não acho que ele faça muito pela Fifa, mas ele precisa estar no Comitê Executivo, pois é preciso ganhar dinheiro lá. Em termos de Fifa, o Teixeira não é importante. Ninguém é realmente importante para a Fifa, pois cada um está preocupado com o seu império. E eles se juntam a cada três meses para realizar reuniões, ver como podem ganhar algum dinheiro, e depois voltarem para seus impérios.

UOL Esporte – Então não é possível vê-lo como sucessor de Blatter? Platini é um nome mais plausível?
Andrew Jennings -
Alguns meses antes do escândalo, quando estive no Brasil, cometi um grande erro. Muitos disseram que Teixeira seria o próximo presidente da Fifa, e eu disse: “besteira, vocês devem estar de brincadeira, pois ele é sujo e não é tão conhecido fora do Brasil”. Não é como o Beckenbauer, mas apenas outra pessoa. Mas eu cometi um erro. Assim como Havelange manteve Blatter para deixar os segredos trancados, quem seguirá Blatter? O Platini é honesto. Ele é bobo em alguns aspectos, mas não é um ladrão. Blatter precisa passar a tocha da Fifa para Teixeira. Então ele irá usar todo o poder que tem para promover Teixeira, mas não acho que ele vá conseguir.

UOL Esporte – Mas fala-se, há algum tempo, sobre uma crise entre Blatter e Ricardo Teixeira. E já publicaram também que Platini teria pedido o apoio dos dirigentes da Uefa para Blatter, em troca de sua nomeação para a presidência da Fifa daqui a quatro anos.
Andrew Jennings -
Tem um grande erro aí. Eu estava no congresso [da Uefa] e os jornalistas europeus entenderam errado. O Blatter estava preparando o seu grande discurso e disse que precisava de mais quatro anos para cumprir sua missão. Aí ele olhou para o Platini como se estivesse olhando para seu filho, mas não disse isso. Mesmo assim, todos os jornalistas europeus disseram: “é isso, ele vai convidá-lo, Platini será o sucessor, pois ele é bonito, jogou futebol, não é conhecido por ser desonesto”. Mas todo mundo sabe que o Blatter não quer o Platini, pois ele [Platini] fala com repórteres, vai permitir que as pessoas descubram todas as sujeiras da Fifa. De jeito nenhum Blatter iria indicar o Platini. Teixeira é o homem que Blatter quer. Há duas semanas ele poderia conseguir [a presidência]. Hoje, a Fifa está um caos, e nunca vai se recuperar enquanto Blatter estiver lá. Então essas foram más notícias para Teixeira, pois agora o mundo não saberá quem ele é.

UOL Esporte – João Havelange ainda tem influência na Fifa?
Andrew Jennings -
Havelange é importante para o Blatter, mas não gosta dele, porque o Blatter tentou tirar o Havelange do poder em 1994, tirando dele o apoio da Europa e da África. Mas o Havelange precisava que o Blatter fosse o seu sucessor, para manter toda a sujeira da Fifa, todos os escândalos e esquemas em que o Havelange estivesse envolvido em segredo. O Havelange teve de apoiar o Blatter, pois eles estavam juntos na sujeira. Havelange tem influencia. Quem não sabe muito bem como funciona a Fifa diz: “nossa, olha o sr. Havelange, ele está apoiando o Blatter”. A influência dele ajudou a manter o Blatter no poder.

UOL Esporte – E o que você acha que vai acontecer com a Fifa?
Andrew Jennings -
A Fifa mudou nos últimos dez dias, mudou dramaticamente. É muito difícil prever o que vai acontecer. As chances do Platini são maiores porque o Blatter está quebrado. Teixeira não terá o apoio que o Blatter tem. Terá só os dez votos da América Latina, mas isso não é suficiente. Não terá apoio dos africanos. Não vai ter acesso ao tipo de dinheiro que Blatter e Bin Hamman tiveram, então sem o apoio de Blatter, acho que as chances do Platini aumentaram. Há dez dias diria que Teixeira teria chances.

Placar UOL no iPhone