Como Donnarumma foi de "novo Buffon" a traidor em dois anos no Milan

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

  • Maurizio Lagana/Getty Images

O dia 25 de outubro de 2015 parecia o início de um conto de fadas. Diante do Sassuolo, Gianluigi Donnarumma fazia sua estreia com a camisa do Milan aos 16 anos. "O futuro da Itália", "novo Buffon": durante dois anos, os adjetivos ao goleiro só aumentavam e a torcida do Milan enxergava no jovem o motivo para sorrir em meio a um complicado período de vacas magras.

Mas a decisão do goleiro, na última semana, de não renovar seu contrato com o Milan irritou os torcedores. Em dois anos, o amor virou ódio. A idolatria pelo "novo Buffon" se transformou em raiva a "Dollarumma". Durante uma partida da Itália sub-21 contra a Dinamarca, no último domingo, dinheiro de mentira foi jogado em direção ao goleiro.

"Acreditávamos muito que Gigio (Donnarumma) seria o goleiro do novo Milan, o pilar da construção do novo projeto, mas teremos que revisar nossos planos. É uma decisão que nos entristece, mas vamos seguir adiante. O Milan continua", afirmou o diretor Marco Fassone, no momento em que anunciou que o goleiro não renovaria seu contrato com o Milan.

Do outro lado da história, o empresário de Donnarumma, Mino Raiola, negou que a decisão do goleiro tenha sido tomada por causa de dinheiro. De acordo com o agente, a família do jovem jogador foi ameaçada de morte pelos próprios dirigentes do clube italiano – o clube nega.

"A situação se tornou muito violenta e hostil, então não tivemos outro caminho. Nós tomamos uma decisão que não gostaríamos de ter tomado. Não teve nada a ver com dinheiro, nós fomos ameaçados. A família do Donnarumma foi ameaçada de morte, e ele foi ameaçado de não jogar mais. Você não pode manter um jogador ameaçando ele", afirmou Raiola.

"Ele queria o Milan mais do que tudo"

Dois anos antes do anúncio, a relação de Donnarumma com o Milan tinha início por um desejo do próprio goleiro. "Diversos clubes viram potencial no meu filho. O Napoli o quis enquanto ele fazia testes na Inter de Milão e na Juventus. Mas ele não queria ir para lá, porque ele desejava o Milan a qualquer custo", afirmou na época o pai, Alfonso.

Marco Luzzani/Getty Images
E a carreira de Donnarumma deslanchou rápido com a camisa do Milan. Desde o momento em que estreou, o goleiro assumiu a titularidade do gol do clube italiano, colocando no banco de reservas o experiente Diego López.

As exibições da jovem promessa eram constante motivo de elogios. Em entrevista no ano passado, Dida afirmara que Donnarumma poderia ser maior que ele com a camisa do Milan. "Ele tem um grande talento e pode fazer mais do que eu fiz com a camisa do Milan. Gigio já mostrou seu valor, e acho que vai se desenvolver ainda mais".

Atualmente com 18 anos, Donnarumma já faz parte das listas de convocação da seleção italiana. Seu desenvolvimento é uma das grandes esperanças da Itália para o futuro, mas acontecerá longe do Milan. Resta ao clube procurar um novo goleiro para dar sequência à reconstrução.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos