Topo

Futebol


Atlético-MG usa desejo de Romero de jogar no Brasil para avançar em negócio

Gary A. Vasquez/USA TODAY Sports
Atlético-MG ainda sonha em trazer jogador paraguaio para Minas Gerais Imagem: Gary A. Vasquez/USA TODAY Sports

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-01-10T04:00:00

10/01/2019 04h00

Óscar Romero já avisou ao estafe que tem desejo de deixar o Shanghai Shenhua, da China, e jogar no Brasil. O Atlético-MG tomou conhecimento da vontade do atleta e tenta usá-la como um artifício para acertar a contratação do paraguaio de 26 anos.

Com a intenção de ficar mais próximo da família, que ainda vive no Paraguai, e também do irmão Ángel Romero, que defende as cores do Corinthians, o jogador pediu aos representantes para encontrar uma equipe no futebol brasileiro. Mas Romero ainda não falou sobre o assunto com o Shanghai Shenhua, da China, com quem tem contrato até dezembro de 2020.

O Brasil foi o escolhido na América do Sul por ser o país com melhor condição financeira. À procura de um atacante, o Atlético gostou da ideia de ter o estrangeiro em seu elenco. Contudo, sabe que as cifras para tirá-lo do futebol chinês são muito elevadas.

Os números já estão na mesa do presidente Sérgio Sette Câmara. O mandatário sabe que é necessário desembolsar quase US$ 20 milhões (R$ 73,6 milhões na cotação atual) em taxa de contratação, salários, luvas e comissão de empresários para assinar com o jogador por até cinco temporadas. O valor é considerado elevado, embora seja diluído com prestações da compra e os demais recebimentos durante o vínculo.

O valor pedido pelo Shanghai Shenhua é inferior ao pago em sua contratação, no início de 2017. À época, os chineses desembolsaram 8,4 milhões de euros (R$ 35,7 mi na cotação atual). Ele deseja um vínculo que tenha no mínimo quatro anos de duração.

Entre o fim de 2017 e 2018, Óscar Romero disputou 22 partidas por Shanghai Shenhua e Alavés, da Espanha, sendo 19 como titular. O jogador marcou quatro gols no período, todos no futebol chinês.

Mais Futebol