Topo

Futebol


Neres se sente "estranho" por gol no São Paulo e despista sobre China

Rafael Ribeiro/Florida Cup
Atacante revelado pelo Tricolor foi acionado no início do segundo tempo no Ajax Imagem: Rafael Ribeiro/Florida Cup

Do UOL, em São Paulo

2019-01-12T18:45:29

12/01/2019 18h45

O São Paulo perdeu de virada para o Ajax neste sábado, pela rodada final da Florida Cup, nos Estados Unidos. E o gol que fechou a conta do revés por 4 a 2 foi marcado por um velho conhecido: o atacante David Neres, revelado pelo Tricolor em 2016 e vendido aos holandeses meses depois.

VEJA MAIS:
- Parceria entre Pablo e Hernanes funciona e o Profeta comemora
- Volpi critica segundo tempo contra o Ajax: "Não podemos esconder"

"Foi bem estranho, não sabia se comemorava ou não. Me acostumei a fazer gol pelo São Paulo, então foi estranho", brincou Neres, que concedeu entrevista no gramado do Orlando City Stadium vestindo uma camisa do Tricolor: "No meu corpo qualquer camisa cai bem (risos). Serve para matar a saudade um poquinho da camisa, dos meus companheiros. É sempre bom rever o ex-clube".

No contato com a imprensa, o atacante de 21 anos foi abordado sobre a chance de se transferir para o Guangzhou Evergrande, da China, em negociação que poderia render fortuna ao São Paulo. Neres preferiu despistar. "Tenho contrato com o Ajax, estou focado aqui e o futuro a Deus pertence. Não tenho mais nada para falar sobre isso", alegou.

A saída, então, foi falar sobre as impressões deixadas pelo Tricolor no duelo deste sábado contra o Ajax. Apesar da derrota, ele acredita que o time paulista tem potencial para crescer nas mãos do técnico André Jardine, que o comandou nos tempos de base em Cotia.

"Que o Jardine possa fazer um grande trabalho, pois ele é um grande treinador. Que conquiste muitos titulos. Quem acompanha sabe a qualidade do nosso time, o que fizemos na Liga dos Campeões (chegando às oitavas de final), jogando de igual para igual com grandes equipoes. Então o são paulo mostrou que está no caminho certo mesmo com pouco tempo de trabalho", analisou.

Mais Futebol