Topo

Futebol


Como queda de CR7 deixa Messi próximo do 6º troféu de melhor do mundo

Reuters/Carl Recine
Messi comemora gol do Barcelona contra o Manchester United Imagem: Reuters/Carl Recine

João Henrique Marques

Colaboração para o UOL, de Barcelona

2019-04-17T12:00:00

17/04/2019 12h00

A noite de ontem (16) aproximou Lionel Messi de seu sexto troféu de melhor jogador do mundo. O argentino foi o destaque da vitória do Barcelona por 3 a 0 contra o Manchester United, no Camp Nou, e ainda viu o principal concorrente, Cristiano Ronaldo, ser eliminado na Liga dos Campeões com a derrota da Juventus para o Ajax por 2 a 1, em Turim.

Na lista dos favoritos de 2019, Messi parece bem à frente dos demais. Ele é o atual líder do Chuteira de Ouro da temporada - premiação oferecida ao maior artilheiro entre os campeonatos europeus -, com 33 gols marcados com o Barcelona no Campeonato Espanhol. Além disso, o astro segue com a possibilidade de atingir a Tríplice Coroa, visto que seu time lidera a competição nacional, está na final da Copa do Rei (contra o Valencia) e agora passou à semifinal da Liga dos Campeões.

Além de Cristiano Ronaldo, outros nomes de peso já são considerados como descartados para o prêmio. São os casos de Neymar e Mbappé, do Paris Saint-Germain, do atual vencedero Luka Modric, do Real Madrid, e de Antoine Griezmann, do Atlético de Madrid. Isso, pois seus times sofreram eliminações precoces na Liga dos Campeões.

A premiação de melhor do Mundo da Fifa acontece em setembro e tem como período válido a janela entre agosto de 2018 e julho de 2019.

Quem pode surpreender

Ao analisar o quadro pelo fato dos últimos cinco vencedores do prêmio Bola de Ouro terem conquistado a Liga dos Campeões -- Cristiano Ronaldo, três vezes, em 2014, 2016, 2017, Messi, em 2015, e Luka Modric, em 2018 --, ainda há concorrentes que podem surpreender, visto que seguem na briga por expressivas marcas nacionais.

Ian Kington/IKIMAGES/AFP
Sergio Agüero bate pênalti contra o Tottenham na Liga dos Campeões Imagem: Ian Kington/IKIMAGES/AFP

Entre os nomes que aparecem em boas condições está o do argentino Sergio Aguero, artilheiro do Campeonato Inglês, com 19 gols marcados pelo Manchester City. Além disso, o clube já tem o título da Copa da Liga Inglesa, está na final da Premier League e luta ponto a ponto com o Liverpool pela conquista do Campeonato Inglês. Hoje, ainda pode conquistar uma vaga à semifinal da Liga dos Campeões em caso de virada contra o Tottenham -- perdeu o jogo da ida por 1 a 0.

Com cenário parecido está o egípcio Mohamed Salah, um dos três finalistas ao prêmio na edição passada. O Liverpool será o adversário do Barcelona na semifinal caso supere o Porto, na tarde de hoje -- o jogo de ida foi vencido pelos time inglês por 2 a 0.

Em uma escala abaixo, ainda aparecem as revelações do Ajax: o zagueiro Matthijs De Ligt e o volante Frenkie de Jong, graças à vaga do clube recém-conquistada na semifinal da Liga dos Campeões, a liderança do Holandês e a disputa da final da Copa da Holanda.

Em Barcelona, prêmio de Messi é considerado certo

Não há na mídia catalã quem encontre concorrentes possíveis para tirar a nova premiação de Messi. Mesmo em uma possível queda na semifinal, os feitos atingidos na temporada já são considerados suficientes.

"Messi tem nas mãos o seu Bola de Ouro. Como você vai encontrar alguém capaz de tirar isso dele com números tão inferiores. O único temor era mesmo o Cristiano Ronaldo", avaliou Santi Nolla, repórter do jornal catalão Mundo Deportivo.

"Ele passou de favorito para favoritíssimo ao prêmio. E ainda tem 180 minutos em semifinal para validar isso. Faça um esforço para encontrar concorrentes. Os que estão na disputa demonstram muito mais uma força coletiva do time, sem uma estrela como é Messi, Cristiano Ronaldo, ou o próprio Neymar", analisou o Toni Juanmarti, repórter do jornal catalão Sport.

A seu favor, mesmo em caso de eliminação do Barcelona na semifinal da Liga dos Campeões, está o fato de Cristiano Ronaldo ter levado o prêmio Bola de Ouro em 2013. Na ocasião, o Real Madrid havia sido eliminado pelo Borussia Dortmund, na semifinal, mas o português ficou à frente de Messi e Frank Ribery na disputa final. O francês era o detentor, com o Bayern de Munique, dos títulos da Liga dos Campeões, do Campeonato Alemão e da Copa da Alemanha.

Mais Futebol