Topo

Esporte


Fã do Corinthians, técnico da Colômbia já anulou Messi e Cristiano Ronaldo

Gabriel Carneiro/UOL
Carlos Queiroz, técnico da seleção da Colômbia Imagem: Gabriel Carneiro/UOL

Diego Salgado, José Edgar de Matos e José Eduardo Martins

Do UOL, em Sâo Paulo (SP)

2019-06-19T04:00:00

19/06/2019 04h00

Carlos Queiroz está em casa. O treinador da Colômbia esbanjou simpatia e se mostrou um ser humano espirituoso na véspera do confronto contra o Qatar, hoje (19), às 18h30 (de Brasília), no Morumbi, pela segunda rodada da Copa América. O técnico que parou Lionel Messi na primeira rodada e Cristiano Ronaldo no Mundial do ano passado, no entanto, tem uma relação mais próxima com o país sede do torneio da Conmebol.

O português usou as dependências do Corinthians em 2014, quando comandou o Irã no Brasil, e se encantou pelo clube alvinegro. O treinador, inclusive, atribuiu boa parte do mérito por ter levado o país persa ao Mundial de 2018 à experiência passada no CT Joaquim Grava há cinco anos.

"É preciso falar de uma curiosidade, que chamo de 'Corinthians Connection'. Treinamos no clube para a Copa de 2014. Tivemos muito apoio. Curiosamente, quatro anos depois, Tite e Edu Gaspar formam a comissão técnica da primeira seleção a se classificar e a segunda foi o Irã. As duas primeiras seleções a se classificarem à Rússia formam essa conexão", brincou, em junho do ano passado, durante entrevista ao Estado de S.Paulo.

"Tivemos a oportunidade de estar em uma casa de campeões em 2014. Todos os que estiveram por lá tentaram tirar o melhor proveito. A conexão com o clube está no ar. (...) Diria que esse espírito de campeão é simbolizado por um jogador que tive a oportunidade de conhecer, o Sócrates. Eu o recebi no Manchester United uma vez e ele me confidenciou que tinha o sonho de jogar na Inglaterra", contou.

AFP PHOTO/MIGUEL SCHINCARIOL
Na Copa de 2014, Carlos Queiroz comandou a seleção do Irã no CT do Corinthians Imagem: AFP PHOTO/MIGUEL SCHINCARIOL

As lembranças dos tempos de preparação no Corinthians são carinhosas e, no mínimo, deram sorte ao Irã de Carlos Queiroz, na própria visão do treinador. Na Copa de 2018, a equipe comandada pelo português buscou empate contra Portugal (1 a 1) e ficou a um ponto da classificação para as oitavas de final. Cristiano Ronaldo, nesta ocasião, perdeu um pênalti e teve noite discreta.

Aproximadamente um ano depois de parar CR7, Carlos Queiroz chega credenciado por limitar o jogo de Lionel Messi na primeira rodada do torneio da Conmebol. Na estreia pela Copa América, a Colômbia dirigida pelo português concedeu pouco espaço e fez o craque do Barcelona ter um jogo "morno".

Tamanha atuação sobre a Argentina de Messi, entretanto, ficou no passado. Carlos Queiroz quer comandar uma versão ainda melhor da Colômbia diante do Qatar, que surpreendeu na primeira rodada ao buscar um empate por 2 a 2 contra o Paraguai, após estar em desvantagem por dois gols.

"Quero mudar e tentar ser melhor. Se chegarmos a ser melhor do que jogamos contra a Argentina, ficarei muito satisfeito. Temos que tentar melhorar sempre. (...) Estamos no início da competição e temos o sonho de fazer os seis jogos, mas vamos pensar a cada partida qual será a melhor equipe", declarou o treinador, antes de dar um recado ao elenco e a quem só o valoriza pelas estratégias de sucesso contra Messi e CR7.

"Futebol não é só nomes. Futebol é qualidade e trabalho dentro de campo. Estamos muito alertas e vamos estar preparados para todas as situações amanhã (18)", encerrou Carlos Queiroz, treinador responsável por parar Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no espaço de um ano.

Mais Esporte