Topo

Esporte


Zé Rafael marca, Palmeiras vence e sai na frente do Inter na Copa do Brasil

Leandro Miranda e Flávio Latif

Do UOL, em São Paulo

10/07/2019 23h23

O Palmeiras saiu na frente do Internacional na disputa por uma vaga na semifinal da Copa do Brasil. Hoje, no Allianz Parque, o time de Felipão venceu os gaúchos por 1 a 0, com gol de Zé Rafael, e levará a vantagem para o confronto da volta das quartas de final, marcado para a próxima quarta-feira (17), no Beira-Rio.

Em partida bastante truncada e disputada, o Palmeiras teve as melhores oportunidades e poderia até ter feito mais gols se não tivesse desperdiçado tantos contra-ataques. Deyverson, particularmente, errou bastante na hora do passe final.

Antes de se reencontrarem pela Copa do Brasil, os dois times jogam no fim de semana pelo Campeonato Brasileiro. O Palmeiras entra em campo no sábado (13) para enfrentar o São Paulo, no Morumbi, e o Inter visita o Athletico Paranaense no domingo (14), na Arena da Baixada.

Cronologia do jogo

A partida começou pegada, com marcação forte dos dois times. O Palmeiras teve mais volume até abrir o placar aos 19 minutos, em cabeçada de Zé Rafael, que aproveitou cruzamento certeiro de Bruno Henrique. No segundo tempo, o Inter foi mais para cima, mas o time da casa se segurou bem na defesa e perdeu várias chances de ampliar no contra-ataque.

O melhor: Bruno Henrique

O volante do Palmeiras foi essencial para travar o meio-campo do Inter e, ao lado de Felipe Melo, circulou muito bem a bola para abafar os momentos em que os colorados ensaiavam uma pressão. Também foi decisivo na frente ao acertar cruzamento primoroso na cabeça de Zé Rafael para ajudar a tirar o zero do placar. Quase deixou o dele no segundo tempo, mas foi travado na hora do chute dentro da área.

O pior: Deyverson

Normalmente peça importante do funcionamento ofensivo do Palmeiras, o centroavante desta vez jogou mal. Além de perder várias disputas no alto para Rodrigo Moledo, sendo superado no que costuma ser seu ponto forte para desafogar o time alviverde, ele errou muitos passes em contra-ataques que poderiam resultar em chances claras de gol para o time da casa. Uma furada no segundo tempo, quando teve a chance de deixar Dudu em boa condição, deixou Felipão particularmente nervoso. Depois, ele chegou até a pedir desculpas à torcida ao errar outro passe.

Guerrero faz jogo apagado contra Luan e Gómez

Marcello Zambrana/AGIF
Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Diante de uma dupla de zaga que está há mais de 1.000 minutos sem sofrer gols atuando junta, Guerrero teve noite apagada. Destaque da Copa América pelo Peru, o centroavante sofreu com a pouca criatividade do Inter e pegou poucas bolas em boas condições. Nas que chegaram, porém, ele levou a pior na disputa com os zagueiros do Palmeiras e com Felipe Melo, que também vigiou o peruano de perto. Disperso, Guerrero perdeu várias bolas e mostrou até irritação consigo mesmo. Saiu muito vaiado no fim do jogo.

O jogo do Palmeiras: marcação e ataques diretos

O Palmeiras não fugiu ao seu estilo: marcou com muita aplicação e vigor, praticamente anulando as jogadas de ataque coloradas, e atacou de modo direto, com muita velocidade, quando roubou a bola. Depois de abrir o placar na bola parada, em cabeçada de Zé Rafael, o time teve chances de criar mais nos contra-ataques, mas errou nas tomadas de decisão, especialmente de Deyverson. Também criou mais oportunidades em lances ensaiados de faltas e escanteios, mas Dudu e Luan erraram o alvo.

O jogo do Inter: pouca criatividade no meio

O Internacional veio para a partida com um meio-campo bastante forte fisicamente, com três volantes centrais mais Patrick, volante de origem, aberto pela esquerda. O time gaúcho dificultou a criação do Palmeiras, mas faltou criatividade na hora de atacar. Quando adentrava a intermediária ofensiva, faltava o passe mais qualificado para Guerrero, que praticamente não pegou na bola em posições perigosas. A melhor chance na primeira etapa foi um chute de longe de Nico López, facilmente defendido por Weverton.

Clima quente e irritação com o árbitro

A atuação de Wilton Pereira Sampaio irritou os dois lados. Parando o jogo a todo momento a cada contato e conversando demais com os jogadores, o árbitro gerou reclamações tanto do Palmeiras como do Inter. Felipe Melo, por exemplo, se revoltou com o cartão amarelo que recebeu após dividida com Nico López. Os jogadores das duas equipes criavam rodinhas em volta do juiz a cada lance apitado, contribuindo para o clima quente da partida.

Inter se abre no segundo tempo

Perdendo no intervalo por 1 a 0, o técnico Odair Hellmann apostou em abrir o time para a segunda etapa: sacou o volante Nonato para promover a entrada do veterano D'Alessandro. Com um meio-campo mais leve e tentando sair mais para o jogo, o time colorado passou a ceder ainda mais espaços no contra-ataque. Dudu teve duas boas chances após carregar a bola, mas errou a pontaria tanto de esquerda quanto de direita. Atrás, o Palmeiras segurou bem a tentativa de pressão do Colorado.

Willian volta a jogar e é ovacionado

Mais de sete meses após se lesionar dando o passe do gol do título brasileiro do Palmeiras em novembro de 2018, o atacante Willian voltou a jogar uma partida oficial pelo clube. Ele entrou já aos 42 minutos do segundo tempo na vaga de Zé Rafael e foi ovacionado pela torcida no Allianz Parque.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 x 0 INTERNACIONAL

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 10 de julho de 2019
Horário: 21h30 (de Brasília)
Público: 36.443
Renda: R$ 2.414.083,15
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (ambos de GO)

Gol: Zé Rafael, aos 19 minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Felipe Melo e Luan (PAL); Victor Cuesta, Rafael Sóbis e Rodrigo Moledo (INT)

Palmeiras: Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo (Thiago Santos), Bruno Henrique e Lucas Lima (Raphael Veiga); Dudu, Zé Rafael (Willian) e Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Internacional: Marcelo Lomba; Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, Nonato (D'Alessandro), Patrick e Nico López (Rafael Sóbis); Paolo Guerrero (Guilherme Parede). Técnico: Odair Hellmann

Mais Esporte