Topo

Autoridades falam em "fogo no ar-condicionado" como origem da tragédia

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

08/02/2019 11h57

Autoridades do Rio de Janeiro trabalham com um problema no sistema de ar-condicionado do alojamento como principal hipótese do incêndio que atingiu nesta sexta-feira (08) o Ninho do Urubu, centro de treinamentos do Flamengo. Dez pessoas morreram e três ficaram feridas.

    Segundo o vice-governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro, a perícia irá determinar com precisão o que provocou o incêndio, mas a princípio é avaliado o motivo de um aparelho ar-condicionado ter pegado fogo.

    "É difícil dizer, mas a princípio teria sido um ar-condicionado e saber das causas para que o ar condicionado tenha pegado fogo são as perguntas a serem respondidas agora", disse Claudio Castro, que preferiu ser cauteloso sobre o que poderia ter feito o ar condicionado pegado fogo. 

    Leia também:

    "(A perícia) está estudando se foi a rede, se o aparelho, se a rede externa ou interna. Com muita calma. Tomar cuidado para não dar informação que tenha que ser corrigida depois", disse.

    Já o tenente-coronel Douglas Henaut, do grupamento de salvamentos, disse que todas as vítimas morreram queimadas.

    "Conseguimos trabalhar e atender as vítimas do lado de fora. O local estava tomado por chamas. Só conseguimos entrar e encontrar os corpos. Todas as vítimas morreram queimadas", disse.

    Arte/UOL
    Imagem: Arte/UOL

    A Defesa Civil decidiu interditar parte do CT. "A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, vinculada à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), interditou parcialmente o Centro de Treinamento do Flamengo (Ninho do Urubu) em Vargem Grande, nesta sexta-feira, 8. O isolamento foi feito somente na área dos seis containers onde funcionavam os alojamentos atingidos pelo incêndio, ocorrido nesta manhã", declarou a autoridade em nota oficial. 

    O Ninho do Urubu fica localizado no bairro de Vargem Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e é utilizado para treinamentos do elenco profissional e das categorias de base.

    O local passou por reformas recentemente, com a inauguração de um novo módulo para os profissionais em novembro de 2018. Era previsto, inclusive, que a ala atingida pelo incêndio fosse demolida após a inauguração do novo espaço.

    O incêndio atingiu a ala mais velha do CT, que servia de alojamento para as categorias de base e recebia jogadores de 14 a 17 anos de idade. As vítimas estavam dormindo no momento do incêndio, o que teria contribuído para a tragédia. Os bombeiros foram acionados às 5h17 e os feridos foram levados para o hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. 

    Segundo os bombeiros, os feridos foram identificados como Cauan Emanuel Gomes Nunes, de 14 anos, Francisco Dyogo Bento Alves, 15, e Jhonata Cruz Ventura, 15. 

    Luto no Estado
    O governador Wilson Witzel decretou luto oficial de três dias no estado pelas mortes das pessoas atingidas nas chuvas no Rio Janeiro e no incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo. 

    "Quero manifestar meu mais profundo pesar por essas tragédias e prestar solidariedade às famílias das vítimas. Que Deus os receba e abençoe", disse o governador.

    Witzel determinou uma investigação minuciosa das causas do incêndio e, depois de entrar em contato com a direção do clube, solicitou que o vice-governador Cláudio Castro vá ao Centro de Treinamento do Flamengo para acompanhar os trabalhos das equipes do governo.