Topo

Futebol


Chuva de VAR: tecnologia é decisiva, corrige erros e muda histórias

Do UOL, em São Paulo (SP)

08/04/2019 04h00

O recurso tecnológico do árbitro de vídeo se apresentou de maneira decisiva no último fim de semana. Em Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, o VAR serviu para corrigir erros, salvar os árbitros e, de certa forma, mudar a história dos três campeonatos estaduais em que foi utilizado.

No Campeonato Mineiro, o Cruzeiro acabou beneficiado pela tecnologia, que evitou a confirmação de um gol irregular do América-MG. Um dia depois, o Atlético-MG viu a partida contra o Boa Esporte parar três vezes.

No Rio, logo nos primeiros 15min do Fla-Flu, a arbitragem consultou o vídeo duas vezes. Vasco e Bangu também contou com a intervenção do recurso. No Paulistão, tanto Palmeiras quanto São Paulo acabaram frustrados pelo VAR.

Campeonato Carioca

Flamengo x Fluminense (sábado)

Logo aos 8min de partida, o volante flamenguista Willian Arão subiu de cabeça para inaugurar o placar no Maracanã. Porém, após consultar o vídeo, a arbitragem apontou falta do zagueiro Léo Duarte no goleiro Rodolfo, instantes antes de o meio-campista acertar a finalização e estufar as redes do Maracanã.

Praticamente um minuto depois, a arbitragem novamente parou o jogo para analisar uma falta cometida por Gilberto, que levou apenas o cartão amarelo e permaneceu em campo para, posteriormente, anotar 1 a 0 para o Flu.

O gol obrigou o Flamengo a se abrir para buscar o empate e a classificação para a final - Gabigol igualou o placar na segunda etapa e assegurou o resultado necessário para decretar a ida do clube rubro-negro para a decisão.

Vasco x Bangu (domingo)

O time da Colina acabou sendo auxiliado pelo uso árbitro de vídeo. Já com a vantagem de jogar pelo empate em virtude da campanha superior ao Bangu, o Vasco teve um pênalti concedido pela arbitragem, que não havia visto um puxão de camisa dentro da área.

Confirmada a infração pelo vídeo, Bruno César converteu a finalização, abriu o placar e encaminhou a ida cruz-maltina para a final (o time de Alberto Valentim venceu por 2 a 1).

Campeonato Mineiro

Cruzeiro x América-MG (sábado)

Léo (esq) abriu o placar instantes depois de a arbitragem anular gol do América-MG - Thomás Santos/Agif
Léo (esq) abriu o placar instantes depois de a arbitragem anular gol do América-MG
Imagem: Thomás Santos/Agif

O Cruzeiro passou de forma tranquila para a final do Mineiro, muito graças ao VAR. A arbitragem anulou um gol de Felipe Azevedo ainda na primeira etapa, depois de quase 5min de conversa e debate. O próprio jogador americano elogiou a tecnologia e admitiu a falta confirmada após o uso do recurso. Praticamente no minuto seguinte, a equipe de Mano Menezes abriu o placar com Léo e encaminhou a vaga.

O gol do América-MG naquele momento mudaria o confronto. A resposta quase imediata do zagueiro facilitou um duelo que tomaria ares de dramaticidade com o gol irregular do América, que perdeu por 3 a 2 na ida e dependia do resultado positivo para seguir na competição.

Atlético-MG x Boa Esporte (domingo)

Luan "ironizou" o VAR: só o segundo gol acabou confirmado pela arbitragem após consulta no vídeo - Marcelo Alvarenga/Agif
Luan "ironizou" o VAR: só o segundo gol acabou confirmado pela arbitragem após consulta no vídeo
Imagem: Marcelo Alvarenga/Agif

Ninguém usou tanto o VAR quanto Anderson Daronco ontem (07), no Mineirão. Em três oportunidades, o árbitro visitou a cabine do VAR, todas envolvendo lances ofensivos do Atlético-MG. No início do jogo, Luan teve um gol anulado por impedimento. Instantes depois, o próprio camisa 27 do clube alvinegro se viu novamente na mira do recurso.

No entanto, após minutos de consulta, Daronco e a equipe de arbitragem confirmaram o "segundo" gol de Luan no duelo, concluindo que não houve desvio de Ricardo Oliveira, que colocaria o "Menino Maluquinho" em impedimento. O VAR também serviu para confirmar o gol de Vinicius, responsável por fechar o 5 a 0.

Campeonato Paulista

Palmeiras x São Paulo (domingo)

O São Paulo venceu o Palmeiras nos pênaltis, em pleno Allianz Parque, e avançou à final do Campeonato Paulista, depois de passar por duas vezes no teste do árbitro de vídeo. No primeiro momento, o time comandado por Cuca se viu frustrado com a confirmação do impedimento de Liziero, que havia superado Fernando Prass e aberto o placar.

A paciência são-paulina, entretanto, passou por uma prova ainda maior por volta dos 32min da segunda etapa. Após jogada de Diogo Barbosa, Deyverson dominou dentro da área e abriu o placar para o Palmeiras. O camisa 16 comemorou, o estádio explodiu e o torcedor tricolor pela TV se frustrou.

Contudo, minutos depois, o VAR interrompeu toda a festa para o gol que encaminharia o Palmeiras na final. O sistema flagrou impedimento do palmeirense e fez a arbitragem não dar o gol. O placar permaneceu zerado, e o São Paulo levou a vaga nos pênaltis diante do rival.

Mais Futebol