Topo

Atlético-MG

Por que o Atlético-MG sofre para fechar com técnico para a vaga de Levir?

Marcelo Alvarenga/AGIF
Atlético-MG não consegue encontrar um treinador para comandar a equipe em 2019 Imagem: Marcelo Alvarenga/AGIF

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-04-25T04:00:00

25/04/2019 04h00

O Atlético-MG tem encontrado dificuldades para encontrar um novo treinador. As três tentativas da cúpula após a saída de Levir Culpi foram frustradas. Tiago Nunes, Jorge Sampaoli e Rogério Ceni avisaram que não irão à Cidade do Galo em 2019. Mas o que faz o clube sofrer para encontrar um técnico?

Hoje, alguns pontos atrapalham o diretor de futebol Rui Costa a buscar um comandante para a vaga que é ocupada de forma interina por Rodrigo Santana. O UOL Esporte faz uma lista dos problemas encontrados.

Instabilidade dos treinadores

A atual gestão está à procura do quinto nome para comandar o time desde janeiro de 2018. O presidente Sérgio Sette Câmara apostou em Oswaldo de Oliveira, mas o treinador foi demitido ainda em fevereiro. Na sequência, foi a vez de Thiago Larghi receber uma oportunidade. Ele começou de forma interina, mas deixou o cargo demitido depois de oito meses, em outubro.

Por último, foi Levir Culpi quem não resistiu à sequência negativa na Cidade do Galo. O experiente treinador chegou em outubro do ano passado e voltou a ficar desempregado em abril deste ano. O escolhido para a posição, a princípio, é Rodrigo Santana. Ele, contudo, ficará no clube de forma interina. A diretoria está à procura de um nome no mercado e só recebeu respostas negativas.

Busca por técnicos empregados

O Atlético encontra dificuldade na contratação de novos treinadores por conta da política adotada pela atual cúpula. A ideia é buscar um técnico que esteja empregado. Os nomes têm certa estabilidade e evitam trocar uma posição segura ou projetos no início pela equipe de Belo Horizonte.

Trocas recorrentes no futebol

A instabilidade não se resume ao comando técnico do Atlético-MG. Há problemas ainda na gestão de futebol. Desde que assumiu o clube, Sérgio Sette Câmara reforçou o discurso de que teria alguém de sua confiança no cargo de diretor de futebol. O primeiro foi Alexandre Gallo, demitido em outubro do ano passado. Após a saída do ex-dirigente, foi Marques quem assumiu a pasta na Cidade do Galo. Os insucessos em alguns negócios fizeram o presidente apostar em um nome mais badalado. O escolhido foi Rui Costa, que tem currículo extenso e obteve êxito em outros clubes, como Grêmio, Chapecoense e Athletico Paranaense.

Problema financeiro

O momento financeiro do Atlético é outro ponto que atrapalha o clube na busca por qualquer treinador. Sem dinheiro em caixa, a diretoria tem apresentado atrasos salariais constantes, mesmo que de dias. O fato já foi motivo de reclamação de Levir Culpi em entrevista coletiva no Independência, no início do ano. Os direitos de imagem de alguns atletas já ficaram em atraso por dois meses no princípio de 2019.