Topo

Atlético-MG

Gringos ganham moral e vivem nova expectativa de afirmação no Atlético-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

2019-05-20T04:00:00

20/05/2019 04h00

Muitos jogadores se destacaram na vitória do Atlético-MG por 2 a 1 contra o Flamengo. Dois deles são os gringos Chará e Cazares. Ambos chegaram ao clube cercados de um grandes expectativas em relação ao futebol mostrado fora do país, mas ainda não conseguiram deixar a torcida e diretoria plenamente satisfeitos. Mais confiante após os dois golaços, a dupla encara agora uma nova oportunidade para ganhar regularidade e manter o bom futebol apresentado no Horto.

A situação de Cazares é bem clara para o torcedor do Atlético. O equatoriano chegou em 2016 e já mostrou o que é capaz de fazer em campo, com belos gols, passes ou mostrando uma inteligência rara na organização das jogadas. O problema é que o camisa 10 quase nunca conseguiu engatar uma série de boas partidas, e é muito questionado por causa de atuações discretas que sucederam partidas brilhantes.

Na véspera da decisão do estadual, Cazares teve problemas disciplinares e contou com a ajuda do grupo para não cair em descrédito de vez no clube. Além disso, passou um tempo no departamento médico e teve uma volta gradativa aos gramados. Jogou meia hora contra o Santos, pela Copa do Brasil, e melhorou a equipe no segundo tempo. Contra o Flamengo, entrou como titular pela primeira vez desde a final do Campeonato Mineiro. Deixou o campo com o golaço que abriu o marcador e outras belas jogadas que, mais uma vez, comprovaram sua capacidade. A qualidade para ser titular absoluto de Rodrigo Santana é inegável. Resta agora saber se o meia continuará mandando bem dentro das quatro linhas.

Bruno Cantini/Atlético-MG
Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Yimmi Chará está no Atlético há quase um ano. Diferente de Cazares, o colombiano ainda não mostrou tudo que pode em nível técnico. Contratado por quase R$24 milhões junto ao Junior Barranquilla, ele mesclou muito nesses 11 meses até aqui. Suas melhores partidas aconteceram com pouca frequência, e raramente ele provou que valia o investimento feito pela diretoria, que não viu suas jogadas individuais e habilidade no mano a mano que chamaram atenção em sua ex-equipe.

Em alguns momentos do ano passado e também desse ano, Chará teve sua titularidade contestada. Nem sempre porque seus concorrentes estavam voando, mas devido às suas atuações abaixo do esperado. A evolução começou a ficar mais evidente com a saída de Levir Culpi e a chegada do interino Rodrigo Santana. Agora, já mais notável sua contribuição na marcação, auxiliando com mais competência na recomposição das jogadas. Além disso, a confiança em alta já vem permitindo que outras jogadas apareçam com mais frequência, a exemplo dos golaços marcados contra o Vasco e diante do Flamengo, no último final de semana.