Topo

Futebol


Tiago Nunes critica CBF por tratar Athletico diferente do Corinthians

Agustin Marcarian/Reuters
Imagem: Agustin Marcarian/Reuters

Do UOL, em Santos (SP)

2019-06-06T14:36:49

06/06/2019 14h36

Sem poder contar com Renan Lodi no jogo decisivo de ontem, contra o Fortaleza, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, Tiago Nunes voltou a fazer críticas à CBF em entrevista coletiva após a vitória na Arena da Baixada. Na visão do técnico, a entidade máxima do futebol brasileiro deu tratamentos diferentes a Athletico Paranaense e Corinthians quanto à liberação de jogadores.

Se por um lado Renan Lodi não foi liberado da seleção olímpica que disputa o torneio amistoso de Toulon e desfalcou o Athletico nos últimos dois jogos (Fluminense e Fortaleza), o Corinthians teve a possibilidade de contar com Cássio e Fágner, convocados para a Copa América, no confronto de terça-feira, contra o Flamengo, também pelas oitavas de final da Copa do Brasil.

Fágner não entrou em campo por conta de uma lesão na coxa esquerda e antecipou sua ida à seleção brasileira para dar sequência ao tratamento. Já Cássio foi titular do Corinthians diante dos cariocas e se apresentou ontem ao time comandado por Tite. Já Pedrinho e Mateus Vital estão em Toulon com o time comandado por André Jardine e seguem como desfalques na equipe alvinegra.

Para Tiago Nunes, a CBF poderia ter atendido ao pedido do Athletico e ter liberado Renan Lodi: "No jogo do Corinthians, liberou dois jogadores [Fágner e Cássio] que estavam na Copa América, para disputar uma Copa do Brasil. Mas não pensou em liberar para um torneio sub-21 ou sub-23 - sei lá que porcaria é aquilo - um jogador que é essencial para uma competição internacional [Recopa]. Me chateia demais isso que estão fazendo com o Renan [Lodi]", disparou.

"A gente vê interesses que não entendemos quais são, sendo colocados à frente do bem-estar do jogador e das competições que são dirigidas pela nossa Confederação. Se a Confederação entende que são competições que ela quer valorizar, ela tem que deixar os melhores jogadores jogando. Mas, ao contrário, ela entende que os melhores têm que ficar em casa, vendo pela televisão, porque se sentiu desrespeitada. Não pensa no bem-estar no clube", acrescentou.

Renan Lodi não entra em campo desde o dia 30 de maio, quando o Athletico visitou o River Plate no segundo jogo da Recopa Sul-Americana. Depois disso, o clube passou a temer uma possível punição pela escalação do jogador nas competições chanceladas pela CBF, e não o utilizou.

"Estou muito chateado pelo Renan. É a segunda vez que ele concentra conosco, faz a programação pré-jogo, esperando uma liberação e não tem. Ele está muito triste e sentindo muito, porque, como se menciona que ele tem uma venda em aberto que pode acontecer a qualquer momento, o desejo de ele jogar na Arena é gigantesco", disse Tiago Nunes.

"Daqui a pouco está sendo cerceado o direito dele de jogar e talvez fazer uma despedida no palco onde foi criado, formado e onde ele adora jogar. Vejo ele muito triste nesses dias e estou chateado por ele", completou o treinador, citando uma possível despedida do jogador por conta do interesse de clubes europeus em seu futebol - entre eles o Atlético de Madri, da Espanha.

O Athletico aguarda uma resposta do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para saber se poderá escalar Renan Lodi nas últimas duas partidas do Campeonato Brasileiro antes da Copa América, contra Palmeiras, sábado (8), no Allianz Parque, e Goiás, dia 13, em Goiânia. O tribunal ainda espera por uma posição da CBF e deve responder ainda hoje sobre a solicitação do clube paranaense.

Mais Futebol