UOL Esporte Fórmula 1
 
UOL Esporte

Luta pelo título de 2010 promete ser uma das mais equilibradas de todos os tempos

11/03/2010 - 07h01

F-1 abre temporada que promete ser uma das mais equilibradas da história

Guga Fakri
Em São Paulo

A temporada 2010 da Fórmula 1 que começa neste final de semana com o GP do Bahrein promete ser uma das mais equilibradas de todos os tempos. Com várias mudanças significativas no regulamento e um grid cheio de estrelas, entre elas quatro campeões mundiais, a competição deve ser uma das mais imprevisíveis dos 61 anos da principal categoria do automobilismo mundial.

FIM DO REABASTECIMENTO NAS PROVAS

  • AFP/BAZUKI MUHAMMAD

    O fim do reabastecimento é um dos principais fatores de equilíbrio para a temporada de 2010

As mudanças no regulamento representam o principal fator de equilíbrio. Com projetos começados do zero em relação aos de 2009, os times vão travar uma batalha constante pelo desenvolvimento de seus carros ao longo da temporada, e já mostraram desempenhos muito próximos durante os testes coletivos em fevereiro.

A alteração mais importante nas regras foi o fim do reabastecimento durante as corridas. Com a proibição, as equipes tiveram de projetar carros totalmente diferentes dos usados nas últimas temporadas, que acomodem um tanque de gasolina bem maior que os anteriores.

Mas o fim do reabastecimento não representa o fim dos pit-stops, já que a utilização dos dois tipos de pneus (macio e duro) ainda é obrigatória durante as provas. No entanto, o tempo das paradas deve cair para cerca de três segundos, ao contrário dos oito a dez segundos que eram necessários para encher o tanque.

Outro fator que deve trazer mais emoção à disputa é a presença de quatro campeões mundiais no grid, o que não acontecia desde 1999: Jenson Button (campeão em 2009), Lewis Hamilton (campeão em 2008), Fernando Alonso (2005 e 2006) e Michael Schumacher (1994, 95, 2000, 01, 02, 03 e 04) somam juntos 11 títulos mundiais. Além deles, os vice-campeões Felipe Massa, Sebastian Vettel e Rubens Barrichello acrescentam talento na briga pelo título de 2010.

Com Nico Rosberg como companheiro em uma equipe 100% alemã, Schumacher será o centro das atenções mesmo que a Mercedes não lute por vitórias. O heptacampeão retorna à categoria na equipe das “flechas prateadas” ao lado de Ross Brawn, com quem conquistou seus sete títulos, dois com a Benetton e cinco com a Ferrari.

DOIS BRASILEIROS CHEGAM AO 'CIRCO'

  • Bruno Senna fará sua estreia pela Hispania, primeira equipe espanhola a participar da F-1

  • Lucas di Grassi correrá pela Virgin, uma das novas equipes que chegam à categoria nesta temporada

Uma novidade que também vai acirrar as disputas é o novo sistema de pontuação, criado para valorizar as vitórias. O antigo formato (10-8-6-5-4-3-2-1) dava ao segundo colocado 80% da pontuação do vencedor, enquanto no novo sistema (25-18-15-12-10-8-6-4-2-1), essa proporção é de 72%. E com dez carros entrando na zona de pontuação – e não oito, como era até 2009 –, os pilotos do meio do pelotão também serão incentivados a lutar por posições.

Mais novidades em 2010

Outra novidade será a estreia de três novas equipes (Virgin, Lotus e Hispania) e cinco novos pilotos: o alemão Nico Hulkenberg (Williams), o russo Vitaly Petrov (Renault), o indiano Karun Chandhok (Hispania) e os brasileiros Bruno Senna (Hispania) e Lucas di Grassi (Virgin).

Já a classificação manterá o formato de três etapas, com alguns ajustes para o grid mais cheio, que aumentou de 20 para 24 carros: o número de pilotos eliminados nas primeiras duas etapas (Q1 e Q2) aumentou para sete (antes eram cinco), mantendo a última fase (Q3) com dez carros disputando a pole position.

Nos últimos anos, os carros que disputavam o Q3 tinham de começar a corrida com a mesma quantidade de combustível com a qual fizeram a classificação. Este ano, essa regra caiu, e os pilotos terão carros leves na briga para largar na frente. Porém, os dez primeiros do grid serão obrigados a largar com os pneus usados na classificação de sábado, enquanto os outros poderão começar as provas calçados com pneus novos.

Essa mudança terá impacto direto na estratégia usada pelas equipes, que terão de calcular o desgaste de cada tipo de pneu em diferentes configurações, com tanque cheio e vazio, para saber qual será o melhor momento de chamar os pilotos para o pit stop.

O calendário terá 19 corridas, duas a mais que na temporada passada. A pista do Canadá retorna ao circo, enquanto o circuito de Yeongam, na Coreia do Sul, receberá seu primeiro Grande Prêmio. Junto com o de 2005, o calendário de 2010 será o mais longo da história da categoria.

Compartilhe:

    Placar UOL no iPhone

    Hospedagem: UOL Host