Topo

Futebol


Recomendação da Conmebol sobre Boca x River desfalca Uruguai contra Brasil

Amilcar Orfali/Getty Images
AUF decidiu não comprar briga com a Conmebol e liberou Nandez, do Boca Juniors Imagem: Amilcar Orfali/Getty Images

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

2018-11-14T04:00:00

14/11/2018 04h00

A fim de promover o melhor espetáculo possível para a decisão da Copa Libertadores entre Boca Juniors x River Plate, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) interferiu diretamente na Data Fifa desta semana. Um dos maiores prejudicados por uma recomendação da entidade é o Uruguai, rival do Brasil na sexta-feira, às 18h (de Brasília), em Londres.

A reportagem do UOL Esporte entrou em contato com a Associação Uruguaia de Futebol (AUF) e com a Conmebol. Ambas trataram as ausências de Nahitan Nández, do Boca Juniors, e Camilo Mayada, do River Plate, como uma “recomendação” da entidade sul-americana.

O pedido da entidade se justifica para os dois grandes rivais argentinos apresentarem a “melhor potência” futebolística na decisão do torneio. Nández é titular absoluto do Boca, enquanto Mayada opção de banco de Marcelo Gallardo.

A interferência da Conmebol a favor dos times prejudica e irrita quem trabalha com o Uruguai. Se a federação local tratou aceitou o pedido da Conmebol sem contestação, o técnico Óscar Tabárez se mostrou incomodado antes do embarque para a Inglaterra.

“Tudo o que nós países de ‘terceiro mundo’ temos de ajuda é o regulamento da Fifa. Se este regulamento não tem uma sanção ou não é respeitado, não há ninguém para intervir. Há algo que está errado. Perdemos em menos de uma semana oito jogadores: seis por lesões e dois por assuntos da final da Libertadores”, lamentou o treinador uruguaio.

HENRY ROMERO/Reuters
Tabárez reclamou da recomendação Imagem: HENRY ROMERO/Reuters

A indignação de Tabárez retrata o quanto a Conmebol ignora até a Data Fifa para valorizar a final da Libertadores como produto. O próprio Uruguai, por exemplo, rejeitou pedidos do Cruzeiro e do Santos por De Arrascaeta e Carlos Sánchez, respectivamente.

Por estar com a equipe de Tabárez na Ásia, De Arrascaeta perdeu a primeira final da Copa do Brasil, conquistada posteriormente pelo Cruzeiro na Arena Corinthians e com gol do camisa 10, que encarou uma viagem de 25 horas para chegar a São Paulo.

Já Sánchez vai ficar fora dos duelos santistas contra Flamengo e América-MG, fora de casa, e Botafogo, na Vila Belmiro – os paulistas brigam por vaga na próxima Libertadores.

Nández, titular do Boca e que permaneceu os 90min em campo no empate por 2 a 2, e Mayada, reserva na ida, permaneceram na Argentina se preparando para a decisão do próximo dia 24, no Monumental de Nuñez.

Segundo a Conmebol, a recomendação se estendeu a todas as federações sul-americanas, pensando na valorização da final entre os argentinos. Além de Nandez e Mayada, nomes como Barrios, Villa (Boca), Borré e Quintero (River Plate) poderiam ser desfalque neste intervalo entre as duas finais. A Colômbia do quarteto, porém, não irá a campo nesta janela Fifa de novembro.

Pavón, vítima de lesão no confronto de ida e que pode desfalcar o Boca em Nuñez, e Armani (goleiro do River Plate) também acabaram fora da lista da Argentina para os amistosos contra o México.

Mais Futebol