Topo

Brasileirão - 2019


Não é só o Vasco: início do Brasileirão também incomoda mais dois "grandes"

Do UOL, em São Paulo

2019-05-13T04:00:00

13/05/2019 04h00

Para encontrar problemas nas campanhas de Palmeiras e Santos, os líderes do Brasileirão 2019 passadas quatro rodadas, você precisa ser muito exigente. Os rivais paulistas tiveram exibições impressionantes ontem. Agora, outras torcidas de enorme representatividade no futebol nacional passam por momentos que podem variar da apreensão total à incompreensão pelo que vem acontecendo com seus times. O Vasco certamente se enquadra no primeiro grupo. Já Corinthians e Grêmio ficam na segunda turma.

Comecemos pelo Vasco. Pensem com a cabeça de Vanderlei Luxemburgo, o novo treinador cruzmaltino que estava nas tribunas do Pacaembu para testemunhar massacre executado pelo Santos (3 a 0, mas poderia ter sido muito mais). Será que o treinador teve algum arrependimento de ter assinado contrato nesta temporada?

Luxemburgo já sabia que estava fechando com o lanterna da competição. Mas a situação se agravou uma partida depois. A equipe segue sem vencer e tem saldo negativo de sete gols, que é de longe o pior até aqui. Mas a tensão vascaína vai além dos números: o desempenho tem sido calamitoso. De novo: o Santos poderia ter feito muito mais gols se seus homens de frente apresentassem maior frieza ou categoria na hora de finalizar.

Em meio à depressão do lanterna, o goleiro Sidão já foi eleito vilão - por vascaínos, mas também por torcedores neutros, a ponto de ser apontado "craque do jogo" pelos telespectadores da TV Globo. Crueldade ou mera zoeira? O veterano cometeu muitas falhas em seu retorno ao Pacaembu, incluindo uma saída de bola atrapalhada que resultou no primeiro gol santista. Foi o primeiro de muitos deslizes.

E aí, professor?

Colocado pelos blogueiros do UOL Esporte entre os favoritos ao título, o Grêmio ainda não venceu após quatro partidas e faz companhia ao Vasco na zona de rebaixamento, em antepenúltimo, com aproveitamento de apenas 17%. É seu pior início pelo campeonato nacional desde 2000.

Do alto de sua confiança, o técnico Renato Gaúcho afirma que é questão de tempo para o time entrar em outra briga, na parte superior da tabela. Os torcedores estão aguardando. "Nós somos os culpados por termos dois pontos em 12. Mas daqui a pouco o Grêmio vai decolar. O Grêmio vai estar lá na frente. Quem está do lado do Grêmio que trate de decolar também. Daqui a pouco, o Grêmio vai para o lugar dele, não tenho dúvida nenhuma", disse.

Já o Corinthians não ocupa posição tão incômoda assim na classificação. Mas não é que o 12º lugar estivesse nos planos de diretoria, comissão técnica, elenco e arquibancada. Também fugiu às expectativas de nossos blogueiros. E aí que, a despeito da conquista do Paulistão, a torcida corintiana começa a manifestar dúvidas sobre o rendimento da equipe, que tem quatro gols em quatro rodadas, mas cria pouco.

O treinador Fábio Carille acredita que a pausa para a disputa da Copa América no país será essencial para que pratiquem melhor futebol. O discurso não soou tão convincente assim para muitos torcedores.

Fora do ar

Ah, sabe a história de encontrar problemas na caminhada palmeirense? Por enquanto, a tarefa fica ainda mais complicada quando lembramos que o jogo no Mineirão foi mais um a não ser transmitido ao vivo por nenhum canal (oficial). Neste caso não houve desculpa nenhuma pelo transtorno pelas partes envolvidas. Do seu lado, o clube paulista veiculou uma narração da partida em suas redes sociais e contabilizou mais de um milhão de visualizações.

Em tese, o público que assistiu ao vivo à vitória sobre o Atlético-MG se limitou aos presentes no Mineirão. Obviamente que palmeirenses e atleticanos, em massa, não gostaram nada dessa história. Mas o fato é que, se os 90 minutos não são reproduzidos na íntegra, vai fazer como para encontrar defeito? Considerando o péssimo início de campanha, talvez os vascaínos preferissem estar na mesma situação, sem poder ver nada?