Topo

Empate de opostos: Palmeiras tem 33 jogos invicto e SPFC um ano de jejum

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

14/07/2019 04h00

A noite no Morumbi acabou com um placar igual e realidades distintas. Apesar do 1 a 1 no clássico de ontem, válido pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, São Paulo e Palmeiras têm muito pouco em comum nos últimos tempos. Até mesmo as reações dos envolvidos na partida comprovaram os momentos opostos que vivem os tricolores e os alviverdes.

Enquanto o time do técnico Luiz Felipe Scolari completou 33 partidas sem saber o que é perder no nacional, a equipe de Cuca não ganha um clássico desde o 3 a 1 sobre o Corinthians no dia 21 de julho de 2018 - quase um ano de jejum. Além disso, o Tricolor paulista não conquista uma vitória nem sequer uma simples vitória no nacional desde o dia 12 de maio, no 1 a 0 sobre o Fortaleza.

"O empate, jogando fora de casa, com o São Paulo, tendo que pensar em outras competições, foi bom", disse Felipão.

"Eu acho que é um pecado nós não termos ganhado essa partida dentro do que foi o jogo principalmente no primeiro tempo", afirmou Cuca.

Mundos opostos

As realidades de Palmeiras e São Paulo não são diferentes apenas quando o assunto é clássico. Até mesmo em termos financeiros alviverdes e tricolores vivem mundos opostos. Com o apoio dos recursos oriundos do maior contrato de patrocínio do Brasil e a administração eficiente, o time de Felipão é conhecido por sua força no mercado da bola e tem suas contas em dia. Já a equipe do Morumbi atrasou direitos de imagem de atletas e talvez precise vender algum jogador para tentar reduzir sua dívida.

A culpa é de quem?

No lance do gol de Dudu, o goleiro Tiago Volpi, que era um dos destaques positivos do Tricolor paulista, falhou. O técnico Cuca creditou parte do erro ao azar e outro tanto aos refletores do Morumbi, que passaram por mudanças neste ano antes da Copa América. O goleiro Weverton, do Palmeiras, também culpou o sistema de iluminação. Já os torcedores também procuravam encontrar uma resposta, enquanto apostaram no bom humor.

"Para o goleiro, é bem complicado a bola quando sobe. Aqui, eu vejo e pouca gente fala, mas o Morumbi é o pior refletor pro goleiro que existe. Vai direto no rosto e é difícil você sair do gol, é muito complicado. Talvez tenha atrapalhado ele [Volpi]", afirmou Weverton.

Pablo e Copa do Brasil

O São Paulo pôde contar com o camisa 9 por apenas 45 minutos. O jogador sentiu uma lesão no tendão da perna direita e precisou ser substituído. O atacante será avaliado nos próximos dias e é dúvida para o jogo contra a Chapecoense, no dia 22, no Morumbi. O time do Morumbi se reapresenta hoje e folga na segunda-feira (15). Já o Palmeiras volta a jogar pela Copa do Brasil, na quarta-feira, dia 17, em Porto Alegre, contra o Internacional.

Blogueiros opinam

Juca Kfouri

Se para o Verdão era mais um clássico, para o Tricolor era jogo de afirmação, além de ser o Brasil no Brasilerão, todos torcendo para evitar a disparada alviverde.

PVC

O primeiro tempo do São Paulo deu noção de evolução. Um time de 29 gols em 34 jogos, ataque frágil, conseguiu criar como pouco fez neste ano. O Palmeiras ainda não voltou ao nível anterior à Copa América. Mas segue líder e segue invicto no Campeonato Brasileiro.