UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/11/28/obras-da-copa-de-2014-estao-r-2-bi-mais-caras-do-que-previsao-inicial-diz-jornal.htm
  • Obras da Copa de 2014 estão R$ 2 bi mais caras do que previsão inicial, diz jornal
  • 22/10/2017
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
Projeto do monotrilho de Manaus teve um aumento de 19% no valor das obras

Projeto do monotrilho de Manaus teve um aumento de 19% no valor das obras

28/11/2011 - 08h41

Obras da Copa de 2014 estão R$ 2 bi mais caras do que previsão inicial, diz jornal

Do UOL Esporte
Em São Paulo

As obras para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, incluindo o aumento de gastos em projetos de mobilidade urbana e a elevação do orçamento dos estádios, já estão R$ 2 bilhões mais caras do que o previsto no início de 2010, segundo informações do jornal o Estado de S. Paulo desta segunda-feira.

MUDANÇAS NO VALOR DAS OBRAS DE MOBILIDADE URBANA DA COPA-2014

Cidade Valor Inicial Valor Final
Rio de Janeiro (RJ) R$ 1,6 bilhão R$ 1,9 bilhão
Manaus (AM) R$ 1,3 bilhão R$ 1,6 bilhão
Recife (PE) R$ 99 milhões R$ 182,6 milhões
Belo Horizonte (MG) R$ 51,2 milhões R$ 135,3 milhões
Porto Alegre (RS) R$ 24 milhões R$ 40,8 milhões

De acordo com informações do jornal, o orçamento da obras para o Mundial escapou do controle do governo e um dos exemplos é a fraude do Ministério das Cidades que permitiu a aprovação do projeto VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), em Cuiabá, mesmo esse sendo R$ 700 milhões mais caro que o projeto inicial apresentado.

Porém, a cidade de Cuiabá não é a única a apresentar aumento em seus gastos com obras de mobilidade urbana. Belo Horizonte, Recife, Manaus, Rio de Janeiro e Porto Alegre seguiram na mesma linha (veja o quadro ao lado).

A exceção é a cidade de São Paulo, que reduziu a previsão de custos com a obra do monotrilho. O orçamento caiu de R$2,8 bilhões para R$1,8 bilhão. Enquanto isso, Fortaleza não mudou o planejamento inicial e Brasília apresentou uma pequena elevação (4,48%).

Porém, a situação de São Paulo se inverte em relação aos custos com as obras na construção de estádios, já que a capital paulista optou por não reformar o Morumbi, o que custaria R$ 240 milhões, e optou pela construção do Itaquerão, que deve sair por R$ 820 milhões.

Obras para a Copa de 2014
Obras para a Copa de 2014

O custo do Maracanã subiu 47,25% (R$283 milhões) em relação ao que apresentado incialmente. Os responsáveis afirmam que o aumento se deve a mudança na cobertura do estádio, que receberá a decisão do Mundial.

A reforma do Beira-Rio, estádio do Internacional, em Porto Alegre (RS), dobrou, passando de R$ 130 milhões para R$ 290 milhões. Enquanto isso, o valor final do Mané Garrincha, em Brasília (DF), ainda é um mistério, já que alguns itens, como gramado, catracas e traves, serão licitados depois de concluídas as obras.

Em resposta ao jornal paulista, o Ministério das Cidades afirmou que “está em andamento a revisão da matriz de responsabilidades” dos projetos.

TODOS OS ESTÁDIOS DA COPA

  Estádio Construtora Custo (em R$ milhões)
Mineirão, Belo Horizonte (MG)* Construcap, Egesa e Hap 665,7
Mané Garrincha, Brasília (DF) Via Engenharia e Andrade Gutierrez superior a 846
Arena Amazônia, Manaus (AM) Andrade Gutierrez 499,5
Beira-Rio, Porto Alegre (RS)* Andrade Gutierrez 290
Maracanã, Rio de Janeiro (RJ) Andrade Gutierrez, Odebrecht e Delta 931
Arena Pernambuco, Grande Recife (PE) Odebrecht 465
Itaquerão, São Paulo (SP) Odebrecht 890
Arena Fonte Nova, Salvador (BA) Odebrecht e OAS 591
Estádio das Dunas, Natal (RN) OAS 400
Castelão, Fortaleza (CE) Consórcio Galvão, Serveng e BWA 518,6
Arena Pantanal, Cuiabá (MT) Santa Bárbara e Mendes Júnior 463
Arena da Baixada, Curitiba (PR)* Não definida 234

 

Placar UOL no iPhone