UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/10/08/bndes-ja-aprovou-r-3-bi-para-estadios-da-copa-sp-rs-e-df-ainda-nao-entraram-com-pedido.htm
  • BNDES já aprovou R$ 3 bi para estádios da Copa; Estados vão pagar os empréstimos
  • 01/11/2014
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
O Estádio das Dunas, em Natal (RN), foi o último a obter o financiamento

O Estádio das Dunas, em Natal (RN), foi o último a obter o financiamento

08/10/2011 - 06h01

BNDES já aprovou R$ 3 bi para estádios da Copa; Estados vão pagar os empréstimos

Vinícius Segalla
Em São Paulo

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) já aprovou financiamentos que somam R$ 3 bilhões para a construção dos estádios que serão utilizados na Copa do Mundo de 2014, de acordo com balanço parcial produzido pelo banco.

DINHEIRO DO BNDES NAS ARENAS DA COPA

Demandante Financiamento (em R$ milhões) Situação
Estado do Amazonas 400 Contratado
Estado da Bahia 323,7 Contratado
Estado do Ceará 351,5 Contratado
Estado do Mato Grosso 392,3 Contratado
SPE Minas Arena 400 Aprovado
Estado do Paraná 123 Carta-consulta
Estado de Pernambuco 400 Contratado
Estado do Rio de Janeiro 400 Contratado
SPE Arena das Dunas (RN) 398,7 Aprovado
TOTAL 3.189,2  
  • Fonte: BNDES

Das 12 arenas em construção ou reforma, nove entraram com o pedido de empréstimo, sendo que oito já foram aprovados. A solicitação do Estado do Paraná, de R$ 123 milhões para a reforma da Arena da Baixada, estádio privado do Atlético Paranaense, ainda segue em análise no banco estatal.

Corinthians e Internacional-RS ainda não entraram com o pedido de financiamento para a construção do Itaquerão e a reforma do Beira-Rio. O prazo é até o final do ano. Já o governo do Distrito Federal, que está reformando com dinheiro público o Mané Garrincha a um custo estimado de R$ 745 milhões, não deverá usar o financiamento disponível.

A quantidade de empréstimos pactuados com governos estaduais é mais uma das evidências de que a Copa do Mundo no Brasil será construída majoritariamente com dinheiro público. Dos nove pedidos feitos até agora, sete foram feitos pelos Estados que abrigam os estádios.

As exceções estão em Belo Horizonte (MG) e Natal (RN), onde os financiamentos serão selados (ainda falta a assinatura do contrato) com os consórcios responsáveis pelas obras. Esses consórcios, porém, realizam as obras em estádios públicos (Mineirão e Arena das Dunas), e foram contratados em esquema de PPP (Parceria público-privada) pelos governos estaduais.

Corinthians deve mostrar garantias

Lançado em 2010, o programa ProCopa Arenas é uma linha de crédito desenvolvida pelo BNDES especialmente para reforma ou construção das arenas que serão usadas no Mundial de 2014. As 12 sedes podem contratar o empréstimo, que não pode ultrapassar o teto de R$ 400 milhões.

No caso do estádio do Corinthians, como é a empreiteira Odebrecht que garantirá o pagamento do empréstimo junto ao BNDES, a empresa terá que apresentar a garantia exigida pelo banco estatal, de 130% do valor emprestado, ou o equivalente a R$ 520 milhões. Isso porque, de acordo com as regras do banco, este é o valor que deve ser oferecido como garantia para que o financiamento seja liberado.

Esse montante será oferecido a um banco intermediário que fechará a operação, outra exigência da instituição federal. Até o momento, a Odebrecht não entrou com um pedido formal para tomar o empréstimo. Segundo o UOL Esporte apurou, o Banco do Brasil será o provável intermediário.

Segundo um agente financeiro que acompanha de perto as negociações, todo esforço agora está concentrado na oferta de garantias ao BNDES. “O projeto financeiro já está pronto. A construtora  lançará um fundo imobiliário para grande investidores.

Além disso, oferecerá o direito a parte da receita da nova arena, incluindo o patrocínio comercial (uma empresa privada poderá batizar estádio). "Está sendo criada uma empresa específica para receber esse dinheiro do BNDES, juridicamente enquadrada como Sociedade de Propósito Específico (SPE). O dinheiro sairá em nome dessa sociedade e as garantias serão oferecidas pela Odebrecht”, revelou o negociador.

Obras para a Copa de 2014
Obras para a Copa de 2014

Placar UOL no iPhone