UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/lutas/vale-tudo/ultimas-noticias/2011/11/23/aldo-retoma-instinto-assassino-e-retruca-rival-vascaino-nao-sabe-no-que-se-meteu.htm
  • Aldo retoma 'instinto assassino' e retruca rival vascaíno: não sabe no que se meteu
  • 01/08/2014
  • UOL Esporte - Lutas
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
José Aldo foi provocado pelo rival Chad Mendes, mas devolveu na mesma moeda

José Aldo foi provocado pelo rival Chad Mendes, mas devolveu na mesma moeda

23/11/2011 - 06h00

Aldo retoma 'instinto assassino' e retruca rival vascaíno: não sabe no que se meteu

Maurício Dehò
Em São Paulo

José Aldo nasceu em Manaus, mas começou no mundo das lutas no Rio de Janeiro. Portanto, no dia 14 de janeiro, na segunda edição do UFC na capital fluminense, o campeão dos penas estará em casa. Flamenguista roxo, Aldo viu seu rival Chad Mendes vestir a camiseta do Vasco e provocar, dizendo que o brasileiro perdeu seu “instinto assassino”. Mas, em entrevista ao UOL Esporte, ele retrucou as alfinetadas e deu seu recado: “Ele nem sabe com o que está mexendo”.

A “polêmica” de Mendes aconteceu quando ele apareceu vestido com uma camiseta do Vasco, ao lado do brasileiro Fábio Pateta, seu treinador de jiu-jítsu. Mas, de acordo com Aldo, isso não deve voltar parte da torcida a favor do norte-americano, pelo contrário.

“Ele deu uma apimentada só para ele na luta. Nem entende essa rivalidade de Vasco e Flamengo. Não será um clássico, vai ser Brasil contra Estados Unidos. A torcida vascaína vai estar comigo e a do Flamengo vai ficar mais ainda contra ele”, disse Aldo, completando. “Ele nem sabe com o que está mexendo e vai ter que segurar a onda quando a luta começar.”

Nos últimos dois combates, o manauara teve vitórias incontestáveis, mas conseguiu defender seu cinturão em triunfos por pontos, contra Mark Hominick e Kenny Florian. A última atuação foi a mais morna, e Mendes chegou a dizer que Aldo passou a um estilo mais cerebral, sem a agressividade que marcou seu início de carreira.

O brasileiro não concorda: “Ele vai ver quando eu estiver lá dentro. Não só ele, mas o Brasil inteiro podem ter certeza de que toda vez que eu entrar no octógono, vou cair para dentro, acho que não só ele mas o Brasil inteiro pode ter certeza de que toda vez eu vou cair para dentro".

Para José Aldo, lutar no Rio de Janeiro era algo aguardado com empolgação, uma motivação para sua próxima defesa de cinturão. O evento terá nomes como Vitor Belfort e uma série de lutadores que participou do primeiro UFC Rio, em agosto, como Paulo Thiago, Erick Silva e Edson Barboza.

Mesmo com pouco tempo desde seu último combate, em outubro, o brasileiro diz que a luta com Kenny Florian não foi desgastante e que deve chegar embalado para pegar Mendes. O norte-americano é um velho conhecido do WEC, competição que levou ambos ao UFC, e desafia o campeão apresentando um cartel invicto em 11 lutas, mas apenas dois nocautes e duas submissões.

“O Chad já estava na fila faz tempo, se credenciou para ganhar esta chance, então agora eu confio no treinamento. Estou fazendo tudo certinho na academia e não vai dar errado”, afirmou o campeão. “Eu já peguei lutadores com o mesmo estilo dele e venci. O negócio agora é treinar, chegar lá e arrebentar.”

Placar UOL no iPhone