Levir anuncia saída do Atlético-MG e não resiste ao choro: "É um até logo"

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

Chegou ao final uma novela que durou algumas semanas. Levir Culpi não vai ser o técnico do Atlético-MG em 2016. Depois de uma reunião na quarta-feira à noite, em Belo Horizonte, a diretoria do clube alvinegro informou que o treinador está liberado para conversar com outras equipes, coincidentemente um ano depois da conquista da Copa do Brasil. Já o Atlético vai em busca de um novo comandante técnico. Muricy Ramalho, Cuca, Alejandro Sabella e Edgardo Bauza são os nomes da lista atleticana.

O técnico Levir Culpi fez um pronunciamento nesta quinta-feira para confirma a sua saída do Atlético-MG. Com contrato até o fim desta temporada, o treinador não seguirá no comando do clube. "Bom dia. Aliás, não é exatamente um bom dia. Muito chato para mim assim, estou desconfortavelmente conversando com vocês. Mas é minha obrigação. Nesse pronunciamento gostaria de encerrar um ciclo, provavelmente o ciclo de minha vida em Minas. Não vejo a possibilidade de eu voltar. Preciso aproveitar a oportunidade e agradecer, a palavra é essa. Não é normal um técnico treinar sete vezes os clubes daqui. Essa é a quarta vez que estou no Atlético Mineiro. Os momentos que tivemos aqui, as decepções, as falhas que eu tive e as conquistas que nós tivemos. É um coincidência irônica de completar hoje um ano da conquista da Copa do Brasil, uma das maiores conquistas do clube, da maneira que ela foi. Vai ser inesquecível e eu estava lá! (Se emociona) Não posso lamentar minha saída, preciso curtir os bons momentos. Prefiro ver este lado, a comissão técnica, os atletas", falou.

"É ruim falar muito nesse momento. É uma rotina tão desgastante que não vale ser repetitivo. É aproveitar esse momento para abraçar as pessoas que não tive a oportunidade", complementou.

Durante seu discurso de despedida do clube, segundo colocado no Campeonato Brasileiro, o treinador chegou a chorar ao agradecer o apoio. Levir ainda falou em "até logo". Levir estava no comando do Atlético-MG desde abril de 2014. No comando do clube, ele conquistou a Copa do Brasil e Recopa da última temporada e o Mineiro de 2015. "Tenho um plano e ele vai se tornar realidade, vou escrever um livro sobre esse momento maravilhoso que temos desde a temporada passada", disse. "Assim como num casamento, tivemos um relacionamento com algumas brigas, mas no fundo a gente se ama", completou.

Durante seu discurso, Levir Culpi não abriu para perguntas dos jornalistas. Ele seguiu chorando até o fim de sua despedida. Emoção que tomou conta da Cidade do Galo. Alguns funcionários acompanharam o treinador e também choraram enquanto Levir se despedia.

O Atlético-MG está com quatro pontos de vantagem para o Grêmio com mais seis em disputa. Se empatarem no fim de semana no confronto direto, o time mineiro se garante na segunda posição. Nas duas últimas partidas do Brasileirão a equipe alvinegra deve ser comandada por Diogo Giacomini, que é o treinador do time sub-20.

"Havia até a possibilidade de continuar até contra a Chapecoense. Mas acabou, a diretoria chegou a uma conclusão de que não deveria seguir o nosso trabalho e acho profissional o bastante porque já tem possibilidade de antecipar e formar um novo pensamento", finalizou.

Histórico

Esta foi a quarta passagem de Levir Culpi pelo Atlético. A primeira começou em 1994, quando chegou à semifinal do Campeonato Brasileiro e foi campeão mineiro no ano seguinte. O treinador retornou ao clube em 2001 e mais uma vez caiu na semifinal do Brasileirão. No ano seguinte também foi semifinalista das Copas do Brasil e Sul-Minas.

A terceira passagem de Levir pelo Atlético começou em 2006, quando assumiu o time na Série B do Brasileirão. Depois de ganhar a Segunda Divisão, o treinador conquistou o Estadual em 2007, com direito a goleada por 4 a 0 sobre o Cruzeiro. Mas uma proposta do Cerezo Osaka, do Japão, tirou o treinador do Atlético durante a disputa das quartas de final da Copa Brasil.

Certamente a mais marcante e vitoriosa passagem pela Cidade do Galo foi a que começou em abril do ano passado. Levir assumiu o time durante as oitavas de final da Copa Libertadores. Paulo Autuori caiu depois de perder para o Atlético Nacional por 1 a 0, na Colômbia. Depois do empate em 1 a 1, em Belo Horizonte, o Atlético perdeu a chance de defender o título que conquistou no ano anterior.

Campeão da Recopa meses depois, Levir Culpi foi responsável pelo fim da passagem de Ronaldinho Gaúcho pelo Atlético. Com números ruins e pouco rendimento dentro de campo, o craque perdeu espaço com o treinador e optou por deixar o clube por cima, logo depois de outra conquista continental.

Sem Ronaldinho e com Diego Tardelli como principal estrela, Levir Culpi conduziu o Atlético ao inédito título da Copa do Brasil, numa campanha história. Viradas emocionantes sobre Corinthians e Flamengo e duas vitórias sobre o Cruzeiro, na decisão. Em 2015 veio mais um título mineiro. Mas as precoces eliminações na Libertadores e na Copa do Brasil e o segundo turno do Brasileiro bem abaixo do primeiro, mesmo próximo do vice-campeonato, pesaram contra o treinador.

Levir Culpi teve a chance de renovar com o Atlético, em agosto, mas optou por esperar algum tempo. Se naquela época sua equipe era líder do Brasileirão, três meses depois o Atlético viu o Corinthians ser campeão com três rodadas de antecedência, muito em função das goleadas sofridas para Santos e Sport, além dos 3 a 0 que o próprio Corinthians aplicou dentro no Independência, no começo de novembro.

No total foram 288 partidas de Levir Culpi no comando do Atlético, com 154 vitórias 60 empates e 74 derrotas, com 493 gols marcados 184 gols sofridos. Entre os seis títulos conquistados, certamente a Copa do Brasil, que completa um ano nesta quinta-feira, é o mais marcante e importante.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos