1. Boavista-RJ BOV
    Volta Redonda VRE
  2. Vasco VAS
    Bangu BAN
  3. Fluminense FLU
    Botafogo BOT

Domingo 13/03/2016 - 16:00

São Januário, Rio de Janeiro

1ª rodada

2
Vasco Vasco
  • Luan
  • Jorge Henrique
Pós-jogo
0
Bangu Bangu

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Fases do jogo

  • Primeiro tempoO Vasco dominou a primeira etapa do início ao fim, acuando o Bangu no campo de defesa e criando várias chances de gol. Logo no primeiro minuto, o goleiro Célio Gabriel fez ótima defesa em cabeçada de Jorge Henrique - mas o atacante vascaíno chegou às redes aos 22, completando cruzamento rasteiro de Madson. O Bangu não conseguiu responder à superioridade cruzmaltina, nem ameaçar Martín Silva. No fim, o Vasco ainda teve duas ótimas oportunidades de ampliar, mas parou em Célio: primeiro em cabeçada de Rodrigo, depois em finalização de Nenê.
  • Segundo tempoNão mudou muita coisa após o intervalo: o Vasco seguiu mandando no jogo e criando chances, mas parando em Célio Gabriel. William Amendoim entrou no ataque do Bangu para tentar jogadas individuais, mas Martín Silva seguiu apenas como espectador da partida. Jorge Henrique teve a chance de fazer seu segundo no jogo aos 16, mas o chute à queima-roupa foi defendido por Célio. Apesar do controle, a torcida cruzmaltina só respirou aliviada aos 31, quando Luan desviou para o gol uma cabeçada de Rodrigo e ampliou a vantagem no placar. Nenê ainda acertou a trave no fim após boa jogada individual.

Destaques

  • Não é de fazer gol?Jorge Henrique declarou durante a semana que não é de fazer muitos gols, mas tem um papel tático importante no time. Não deu outra: neste domingo, gol do camisa 11.
  • 100 vezes Martín SilvaO goleiro Martín Silva recebeu uma placa e uma camisa personalizada do presidente Eurico Miranda pelos seus 100 jogos pelo Vasco, completados na rodada passada, contra o Bonsucesso.

Melhor

  • Célio Gabriel, BanguApesar da derrota, o goleiro do Bangu foi o destaque individual do jogo e impediu uma goleada do Vasco

Pior

  • Julio dos Santos, VascoFoi o ponto fraco do técnico meio-campo vascaíno, errando passes, dando espaço na marcação e tomando até caneta de Almir

Melhores notas

  • Vasco
  • Bangu
Avaliação
dos usuários
do Placar UOL
2
10,0
Martin Silva
5
6,0
Giovanni
 
6
10,0
Nenê
3
4,7
Paulo Barrach

Próximos Jogos - Vasco

  1. Bahia BAH
    Vasco VAS
  2. Fluminense FLU
    Vasco VAS
  3. Vasco VAS
    Grêmio GRE
  4. Corinthians COR
    Vasco VAS
  5. Sport SPT
    Vasco VAS

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos