1. Fortaleza FOR
    Imperatriz IMP
  2. Criciúma CRI
    Operário-PR OPE
  3. América-MG AMG
    Red Bull Brasil RED
  4. Sport SPT
    Aparecidense-GO APA
  5. Avaí AVA
    CEOV CEO
  6. Santos SAN
    Santos-AP SAP
  7. Juventude JUV
    Tocantinópolis TOC
  8. ASA ASA
    Genus GEN
  9. Botafogo BOT
    Coruripe-AL COR

Quinta-feira 28/04/2016 - 21:30

Los Larios, Duque de Caxias

1
Botafogo Botafogo
  • Sassá
Pós-jogo
1
Coruripe-AL Coruripe-AL
  • João Paulo

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Fases do jgo

  • Primeiro tempoDiante da final do Campeonato Carioca, o Botafogo decidiu poupar os titulares. A julgar pelo desempenho na primeira etapa, a escolha não foi das mais inteligentes. Sem qualidade alguma, o Alvinegro foi inteiramente dominado pelo Coruripe-AL, que devolveu o placar do jogo de ia em poucos minutos. Jean cometeu pênalti infantil e viu João Paulo converter: 1 a 0. Com Lízio, Yaca Nunez, Neílton e Luis Henrique apagados, o Alvinegro teve apenas uma chance com o boliviano, que chutou para fora no último lance da etapa inicial.
  • Segundo tempoNo intervalo, o técnico Ricardo Gomes percebeu que precisava mudar para não passar vergonha. Sassá e Bruno Silva (esse um pouco mais tarde) entraram e melhoraram o time. Aos 21min, Yaca Nunez cruzou e a bola bateu na mão do zagueiro dentro da área. Pênalti bem convertido por Sassá, que voltou aos gramados após ficar seis meses fora por conta de lesão. No fim, Bruno Silva ainda recebeu o cartão vermelho e tornou o duelo indefinido já um gol daria a classificação ao time de Alagoas. Apesar da pressão final, os cariocas se seguraram e conseguiram a vaga

Melhores

  • Helton Leite, BotafogoFez ao menos duas grandes defesas que poderiam ter mudado a história do confronto. Botafogo deve classificação ao goleiro.
  • João Paulo, Coruripe-ALDeu trabalho à defesa do Botafogo durante os 90min. Mostrou qualidade em alguns lances da partida.

Piores

  • Jean, BotafogoMuito mal na partida, ainda cometeu um pênalti infantil. Deverá ter poucas oportunidades a té o fim da temporada já que Botafogo contratou Victor Luiz para a posição, além de contar com o titular Diogo.
  • Lízio, BotafogoUsou a camisa 10 e não fez absolutamente nada em campo a não ser perder um gol dentro da área. Foi substituído no início do segundo tempo.

Próximos Jogos - Botafogo

  1. Flamengo FLA
    Botafogo BOT
  2. Bahia BAH
    Botafogo BOT
  3. Botafogo BOT
    Flamengo FLA
  4. Botafogo BOT
    Grêmio GRE
  5. Botafogo BOT
    Santos SAN

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos