Segunda-feira 18/04/2016 - 21:00

Allianz Parque, São Paulo

2
Palmeiras Palmeiras
  • Alecsandro
  • Gabriel Jesus
Pós-jogo
0
São Bernardo São Bernardo

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Como foi o jogo

  • Primeiro tempoA primeira chance do Palmeiras saiu logo aos 13 segundos de jogo. Após cruzamento pelo lado esquerdo, Gabriel Jesus cabeceou sozinho para a defesa do goleiro Daniel. Aos oito minutos, o São Bernardo cobrou escanteio pela direita e Fernando Prass afastou o perigo da área. Pouco depois, Eduardo cruzou da esquerda e viu a bola passar por toda grande área. Aos 21, Cañete arriscou chute da entrada da área. Prass defendeu sem problemas no meio do gol. Em seguida, Lucas Newiton recebeu na área, tocou por cima de Prass, mas viu o goleiro fazer a defesa. Aos 36, o Palmeiras reagiu e conseguiu abrir o placar. Egídio bateu falta e Alecsandro desviou de cabeça para marcar o gol. A um minuto do fim do tempo regulamentar, Jean cobrou falta de longe, com força, e obrigou o goleiro a espalmar para escanteio.
  • Segundo tempoAos dois minutos, Egídio cobrou falta da entrada da área e mandou nas mãos do goleiro. Seis minutos depois, Allione arriscou de longe e mandou por cima do gol. No lance seguinte, Gabriel Jesus invadiu a área e cruzou na medida para Robinho. O meia matou a bola e chutou em cima da zaga após a demora na finalização. Cañete, em seguida, bateu forte de fora da área e obrigou Prass a fazer a defesa. O meia ainda assustou o Palmeiras em cruzamento pela direita. A bola passou por todos os jogadores na área, com perigo. Aos 18, Dudu finalizou cruzado e viu o arqueiro salvar o São Bernardo. Pouco depois, Tata Gonçalves quase empatou em jogada na área -- ele foi travado por Thiago Martins. Aos 32, Allione recebeu pela direita, bateu cruzado e quase marcou o segundo. Dez minutos depois, o Palmeiras deu números finais à partida, com Gabriel Jesus, que completou cruzamento rasteiro de Róger Guedes.

Destaques

  • Sinalizadores, nãoO jogo ficou paralisado por quatro minutos, a partir dos 13 do primeiro tempo. O fato se deu porque a torcida do Palmeiras acendeu sinalizadores. O árbitro reiniciou a partida depois que eles foram apagados.
  • Segunda-feiraO Palmeiras voltou a jogar em uma segunda-feira depois de seis anos. A última vez tinha sido contra o Sertãozinho, na Arena Barueri. O time venceu por 3 a 2.

Melhores

  • Alecsandro, PalmeirasO camisa 29 mais uma vez se destacou atuando mais recuado. Além disso, o atacante mostrou muito oportunismo ao marcar um gol de cabeça após cobrança de falta de Egídio.

Piores

  • Allione, PalmeirasO substituto de Dudu não conseguiu render atuando aberto à direita no 4-4-2 de Cuca. Sem aproximação de Jean, o meia argentino foi presa fácil para a marcação.

Próximos Jogos - Palmeiras

  1. Palmeiras PAL
    Chapecoense CHA
  2. Palmeiras PAL
    São Paulo SPA
  3. Atlético-MG CAM
    Palmeiras PAL
  4. Palmeiras PAL
    Coritiba CTB
  5. Fluminense FLU
    Palmeiras PAL

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos