1. Tigres do Brasil TGB
    Boavista-RJ BOV
  2. Bangu BAN
    Friburguense FRI
  3. América-RJ AFC
    Resende RES

Quarta-feira 10/02/2016 - 19:30

São Januário, Rio de Janeiro

3ª rodada

2
Vasco Vasco
  • Thalles
  • Nenê
Pós-jogo
0
Volta Redonda Volta Redonda

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Como foi o jogo

  • Primeiro tempoO Vasco não foi o mesmo das outras partidas, Nenê pouco atuou na zona de criação, e o meio de campo sem "volante brucutu" sofreu nos contragolpes do rival. Foi isso que fez a metade inicial ser equilibrada. Destaque para as duas bolas na trave, uma de cada lado: aos 41 minutos, Niltinho, do Volta, carimbou o poste esquerdo de Martín Silva. Aos 42, Éder Luis, de cabeça, após cobrança de escanteio, respondeu também acertando o pau.
  • Segundo tempoCom chance de somar ponto contra um dos grandes clubes do campeonato, o Volta voltou ainda mais preocupado com a marcação - como consequência, perdeu intensidade ofensiva. Aos 15, Nenê abriu o placar, de pênalti. O time visitante acordou na sequência: tentou empate com Vinícius Pacheco, aos 20, em finalização da entrada da área. Também quase chegou lá quando Niltinho cruzou e a bola tomou o rumo do gol. E teve outra oportunidade aos 33: Martin Silva fez ótima defesa na cabeçada de Tiago Amaral - no rebote, Luan e Niltinho finalizaram mal. Mas foi do Vasco, de Thalles, o tento que definiu o marcador.

Destaques

  • Rio 50 grausA partida teve início às 19h30, já à noite, mas mesmo assim o árbitro Bruno Arleu de Araújo promoveu paradas técnicas nos dois tempos. Não poderia ser diferente: na hora do confronto, os termometrôs na capital do Rio de Janeiro registravam 31ºC - ou pior: a sensação térmica nesta quarta-feira de cinzas chegou atingiu 50ºC.
  • Cadê a meia do Luan?Por volta dos 40 minutos do primeiro tempo, o juiz notou sangramento no joelho, que escorreu para o meião, do zagueiro vascaíno Luan. O atleta saiu de campo para trocar a peça do uniforme, mas demorou quase 5 minutos para voltar. Os roupeiros da equipe lhe trouxeram um meião diferente daquele que estava usando, o que causou confusão. "O time conseguiu segurar (o resultado, então 0 a 0), graças a Deus", comemorou o defensor, na saída para o intervalo.

Melhores

  • Martín Silva, VascoO goleiro uruguaio do Vasco da Gama foi herói do clube nesta quinta. Foram duas defesas difíceis de Martín Silva em finalizações de Niltinho e uma em chute de Vinícius Pacheco, além de um "milagre" em cabeçada à queima roupa de Tiago Amaral. Não só isso: um bom arqueiro também precisa de sorte. Quando foi vencido no duelo, ainda no primeiro tempo e pelo mesmo Niltinho, a bola carimbou a trave.
  • Thalles, VascoUm dos protagonistas da partida saiu do banco de reservas no segundo tempo. Thalles, nesta temporada mais magro e, pelo menos de acordo com ele, mais comprometido, substituiu Éder Luis, que se lesionou. O atacante mudou o jogo: provocou o pênalti convertido por Nenê; deu assistência ao mesmo Nenê, logo na sequência, que disperdiçou a chance de ampliar; quase marcou de bicicleta; e, nos acréscimos, finalmente balançou as redes, sem goleiro.

Piores

  • Luan, Volta RedondaO Volta Redonda deu sufoco no Vasco a partir da metade do segundo tempo, e poderia ter empatado a partida, caso Luan acertasse a mira. Aos 33 minutos do segundo tempo, Tiago Amaral cabeceou firme, de dentro da área, e exigiu defesa "milagrosa" de Martín Silva, que ficou caído no chão. A bola sobrou no pé do zagueiro - que, no ataque, deu uma de defensor. Ele pegou na "orelha" da redonda, que, em vez de estufar a rede, saiu para o lado.
  • Luan, VascoO zagueiro do Vasco, também Luan, foi outro destaque negativo do confronto. Aos 36 minutos do primeiro tempo recebeu cartão amarelo por matar contragolpe puxado por Dija Baiano. Aos 44 do segundo, viu outra advertência, desta vez por falta em Niltinho, e acabou expulso. Ele não enfrentará o Flamengo no clássico de domingo (14).

Melhores notas

  • Vasco
  • Volta Redonda
Avaliação
dos usuários
do Placar UOL
6
8,2
Nenê
3
10,0
Luis Gustavo
 
1
7,6
Riascos
5
10,0
Pedro

Próximos Jogos - Vasco

  1. Fluminense FLU
    Vasco VAS
  2. Vasco VAS
    Grêmio GRE
  3. Corinthians COR
    Vasco VAS
  4. Sport SPT
    Vasco VAS

Próximos Jogos - Volta Redonda

  1. Volta Redonda VRE
    Mogi Mirim MOG
  2. Volta Redonda VRE
    Tupi TUP
  3. São Bento SBE
    Volta Redonda VRE

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos