Quarta-feira 17/02/2016 - 19:30

Pacaembu, São Paulo

1ª rodada

0
São Paulo São Paulo
Pós-jogo
1
The Strongest The Strongest
  • Matías Alonso

Matéria de teste para preview da ficha

Webmaster UOL

Do UOL, em São Paulo

Muricy Ramalho colocou em campo diante do Corinthians a sexta escalação do São Paulo em seis jogos em 2015. Por um misto de opção tática, preservação de jogadores e oportunidade aos jovens, o treinador são-paulino não repetiu o time na temporada. Nesta quarta, uma equipe surpreendente, com algumas mudanças inéditas para o clássico, não deu certo: o time foi dominado e derrotado sem contestação em Itaquera.

Na estreia, defesa com Toloi e Edson Silva, Thiago Mendes no meio e Kardec e Luis Fabiano no ataque. Depois, Lucão ganhou lugar na defesa, Pato no ataque; Ganso voltou ao meio. No clássico com o Santos, chance para o garoto Ewandro. Contra o Bragantino, última partida, esquema com três zagueiros, estreia de Doria e Centurión, com o garoto Boschilia entre os titulares.

Diante do Corinthians, foram três mudanças inéditas: pela primeira vez no ano, Michel Bastos atuou na lateral esquerda; Doria, que só havia atuado com três zagueiros diante do Bragantino, jogou em uma formação com dois defensores. O meio com Denilson, Souza, Maicon e Ganso também apareceu pela primeira vez em 2015.

As surpresas vieram depois de uma semana repleta de mistérios: enquanto Tite revelou a escalação corintiana na terça, Muricy fechou os treinamentos, e deixou claro desde a semana passada que não revelaria a escalação. A estratégia não deu certo.

Um dos principais destaques do time na temporada, Michel Bastos não repetiu as boas atuações na lateral. Após o jogo, repetiu um discurso adotado já no começo do ano, de que rende mais no meio de campo. "Eu sei jogar, lógico, mas acho que hoje eu posso dar um pouco a mais em outra posição. Hoje o Muricy optou por isso para dar possibilidade a outro jogador, tentei dar meu máximo. A gente sempre quer jogar na nossa função", disse.

Dória também não foi bem, e vacilou em alguns lances. Na saída de campo, se irritou com perguntas sobre seu preparo físico. "Com certeza, estou preparado sim", disse, antes de deixar a zona mista.

O meio até trocou mais passes do que o Corinthians, mas, com dois centroavantes de pouca velocidade, Maicon e Ganso não encontraram espaço para enfiar as bolas. Cássio praticamente não trabalhou no Itaquerão.

Depois da partida, o próprio Muricy Ramalho reconheceu que as mudanças não surtiram efeito. "Quis liberar os dois laterais, os dois atacantes e o Ganso, mas não surtiu efeito. Não teve penetração, não teve jogada de fundo do campo. Para classificarmos na Libertadores, é muito pouco. Só com isso não tem condições".

O São Paulo volta a campo no sábado, diante do Audax, no Morumbi. Possivelmente, terá a sétima escalação da temporada. A missão, agora, é encontrar o time ideal antes de voltar a atuar pela Libertadores, diante do Danubio, na quarta-feira.
 

Como foi o jogo

  • Primeiro tempoO São Paulo teve todo o domínio do primeiro tempo. A primeira grande chance, no entanto, foi pelo lado do The Strongest, quando Ramallo acertou a trave de Denis. A partir daí, o time brasileiro começou a dominar a posse de bola, mesmo com dificuldades de criar grandes jogadas. O primeiro grande perigo veio aos 19 minutos, quando Lucão cabeceou e Vaca fez boa defesa. Aos 38, Alan Kardec desviou cruzamento de Michel Bastos e a bola bateu no pé da trave do The Strongest. A jogada só não foi a principal do São Paulo, no entanto, porque o atacante tocou a mão na bola no lance.
  • Segundo tempoO domínio do São Paulo continuou no segundo tempo. Mas, assim como na primeira etapa, o time brasileiro seguia com dificuldades para levar perigo ao gol de Vaca. Nem a inclusão de Calleri no lugar de Hudson fez com que a equipe do Morumbi chegasse mais efetivamente ao ataque. Para piorar a situação, na única chance que teve até então, o The Strongest balançou as redes. Aos 17 minutos, Chumacero apareceu livre e em posição legal para cruzar na cabeça de Alonso, que balançou as redes de Denis. Aos 41 minutos, o São Paulo teve a grande chance do empate, mas Kieza chutou para fora, cara a cara com Vaca.

Destaques

  • O adversário que não vencia fora de casaO The Strongest parecia ser o adversário ideal para o São Paulo na estreia da fase de grupos. Desde a Libertadores de 1981 que o time boliviano não vence uma partida fora da Bolívia. Naquela ocasião, o The Strongest superou o Técnico Universitário, do Equador, por 3 a 2. Antes de enfrentar o São Paulo, o desempenho do The Strongest fora da Bolívia pela Libertadores contava com 47 derrotas, 6 empates e duas vitórias.
  • Vaias para CenturiónA paciência da torcida do São Paulo com Centurión parece ter chegado ao final. O argentino deixou o gramado sob vaias, aos 22 minutos do segundo tempo, quando deu lugar a Rogério. No primeiro tempo, errou um domínio que incomodou os torcedores presentes no Pacaembu.
  • Protesto da torcidaOs são-paulinos não perderam a paciência apenas com Centurión, mas com a equipe toda. Na parte final da partida, os torcedores começaram a cantar ?ai que saudades, de quando o São Paulo jogava com vontade?.

Melhores

  • Michel Bastos, São PauloMesmo com toda a dificuldade do São Paulo para conseguir chegar ao gol de Vaca, o jogador que mais buscar jogo foi Michel Bastos. Assim como já havia acontecido no clássico contra o Corinthians, o meia se movimentou por todo o campo e criou as principais jogadas de ataque são-paulina. No segundo tempo, ainda teve uma chance de marcar, mas acabou finalizando para fora.

Piores

  • Mena, São PauloO lateral foi responsável pelo erro que resultou no gol do The Strongest. Após cobrança de escanteio, Chumacero apareceu em suas costas e, livre, cruzou para o gol de Alonso.
  • Centurión, São PauloEm mais uma atuação apagada, o argentino pouco fez durante a partida e acabou deixando o gramado sob vaias da torcida. Rogério entrou em seu lugar aos 22 minutos do segundo tempo.

Melhores notas

  • São Paulo
  • The Strongest
Avaliação
dos usuários
do Placar UOL
5
6,0
Paulo Henrique Ganso
1
8,4
Carlos Neumann
 
1
6,0
Jonathan Calleri
1
7,5
Matías Alonso

Próximos Jogos - São Paulo

  1. Avaí AVA
    São Paulo SPA
  2. Palmeiras PAL
    São Paulo SPA
  3. São Paulo SPA
    Ponte Preta PON
  4. Vitória VIT
    São Paulo SPA
  5. São Paulo SPA
    Corinthians COR

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos