Dia na Austrália tem ídolos nas arquibancadas e último adeus de Hewitt

Do UOL, em São Paulo

O domingo no Aberto da Austrália teve atuações de nomes como Serena Williams e Novak Djokovic. Mas mesmo com os dois atuais vencedores do torneio em ação, parte das atenções se voltou para dois ex-tenistas que compareceram à programação do dia: Margaret Court e Rod Laver, que batizam as duas principais quadras em Melbourne e que somam 35 títulos de Slams.

E por falar em ex-tenista, Lleyton Hewitt entrou de vez para o clube dos aposentados. Depois de encerrar sua carreira na chave de simples, o ex-número um do mundo acabou eliminado nas oitavas de final das duplas. Fora do Aberto da Austrália, Hewitt pendura de vez a raquete aos 34 anos.

A eliminação não foi a única a chamar atenção nas duplas masculinas. Marcelo Melo, atual número um do mundo no ranking dos duplistas, também caiu ao lado do croata Ivan Dodig. Agora, apenas Bruno Soares representa o Brasil em Melbourne.

Entre as mulheres, o favoritismo está mantido. Serena Williams avançou às quartas de final, onde encara Maria Sharapova. Agnieszka Radwanska sofreu, mas também passou pela quarta rodada.

O dia no Aberto da Austrália

@TennisMajesty/Twitter
@TennisMajesty/Twitter

Serena, diante da maior tiete de todas

Serena Williams garantiu neste domingo sua vaga nas quartas de final do Aberto da Austrália ao derrotar a russa Margarita Gasparyan por 2 sets a 0, com 6/2 e 6/1 nas parciais. No entanto, uma das principais atrações do jogo esteve nas arquibancadas, já que Serena contou com uma espectadora famosa no jogo: Margaret Court, a tenista com o maior número de título de Grand Slams da história, com 24. “É uma honra jogar diante dela. Obviamente, os 24 (títulos) estão próximos, mas ao mesmo tempo, tão distantes”, disse Serena, dona de 21 títulos de majors, após o jogo.
Divulgação
Divulgação

O 'dono da quadra' foi ver um jogo

Sabe quem foi à Rod Laver Arena para acompanhar à partida entre Carla Suárez e Daria Gavrilova pela quarta rodada da chave de simples feminina? O próprio Rod Laver, dono de 11 títulos de Grand Slam entre as eras amadora e aberta do tênis. Não por coincidência, Rod Laver e Margaret Court dão nome às duas principais quadras do Aberto da Austrália.
Made Nagi/EFE/EPA
Made Nagi/EFE/EPA

Simon quase encerra série de Djokovic. E lamenta

Dono de quatro dos últimos cinco títulos do Aberto da Austrália, Novak Djokovic quase viu as chances de taça em 2016 irem embora na quarta rodada. Diante do francês Gilles Simon, o sérvio suou, mas venceu por 3 sets a 2, com parciais de 6/3, 6/7 (7-1), 6/4, 4/6 e 6/3. “É sempre um sentimento ruim quando você perde em cinco sets”, lamentou Simon. Curiosamente, os dois se enfrentaram em 11 ocasiões, com 10 vitória de Djoko. O único triunfo de Simon veio em 2008, no primeiro duelo entre os dois.

O adeus definitivo de Hewitt

O australiano Lleyton Hewitt havia prometido que se aposentaria das quadras tão logo encerrasse sua participação no Aberto da Austrália – e este dia, enfim, chegou. Eliminado na chave masculina de simples logo na segunda rodada, o ex-número um do mundo sobrevivia na chave masculina de duplas ao lado do compatriota Sam Groth. A parceria, no entanto, foi batida neste sábado pelo canadense Vasek Pospisil e pelo norte-americano Jack Sock por 2 sets a 0, com 6/4 e 6/2. O confronto valia vaga nas quartas de final.
AP Photo/Tim Ireland
AP Photo/Tim Ireland

Mais um adeus brasileiro

Marcelo Melo foi eliminado da chave masculina de duplas do Aberto da Austrália na terceira rodada da competição. A parceria com o croata Ivan Dodig acabou surpreendida pela dupla Pablo Cuevas (Uruguai) e Marcelo Granollers (Espanha), cabeça de chave 16, e foi derrotada por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7-3), 2/6 e 6/3. Diante da queda anterior da dupla Thomaz Bellucci/Marcelo Demoliner, apenas um brasileiro segue no torneio: Bruno Soares, que forma dupla com Jamie Murray e que busca uma vaga nas quartas de final.

Radwanska resiste a zebra alemã

A alemã Anna-Lena Friedsam, número 82 do ranking da WTA, deu trabalho para a polonesa Agnieszka Radwanska. O confronto entre as duas durou mais de 2h30min, com direito a um set vencido por Friedsam. No fim, porém, a número 4 do mundo levou a melhor e avançou: 6/7 (8-6), 6/1 e 7/5. “Nós nos enfrentamos duas semanas atrás, e eu sabia que seria difícil aqui”, contou Radwanska, que bateu a rival nas semifinais de Shenzen (China) por 6/2 e 6/4. Em Melbourne, Friedsam deixou a quadra visivelmente arrasada após o jogo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos